SEXUALIDADE E SAÚDE: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA COM ADOLESCENTES DO ENSINO MÉDIO

Anaysa Cunha Alves, Gerlane dos Santos Bezerra, Kionara Carollynne Portela Macêdo Brito, Leonildo Santos do Nascimento Junior, Maria Letícia de Melo Lima

Resumo


INTRODUÇÃO: A adolescência representa o grupo que conduz grandes potenciais sociais, sendo marcado por significativas vulnerabilidades, sobretudo nas relações afetivo-sexuais. Como exemplo, temos o aumento de infecções por doenças sexualmente transmissíveis, consumo de drogas, gravidez não planejada e violência nas relações de intimidade. A percepção das demandas de saúde dos adolescentes contribui para as estratégias de melhorias do cuidado compreendendo o protagonismo juvenil. É fundamental que os adolescentes sejam os autores de sua própria mudança, participando das ações implantadas para seu desenvolvimento integral, assegurando a eficácia do autocuidado para a promoção de sua saúde. Frente a isso, os serviços fornecidos pela Estratégia de Saúde da Família (ESF) devem transcender sua estrutura física e ir ao encontro da comunidade, conhecendo suas debilidades. A metodologia ativa de aprendizagem surge buscando promover no indivíduo o estímulo diante do problema que considera essencial a sua resolução. Essa estratégia percorre o caminho favorável a resolução de problemas listados diante de uma realidade apresentada, estruturando-se na identificação de hipóteses para a problemática reconhecida como interferência na atenção em saúde. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: Diante do contexto, as estagiárias do curso de fisioterapia do Centro Universitário de João Pessoa - UNIPÊ realizaram uma intervenção com os alunos do ensino médio da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Imaculada Conceição, localizada no município de Cabedelo - PB. Foram abordados as temáticas de violência sexual, iniciação sexual, gravidez na adolescência, comportamento sexual e aborto através da apresentação de problemas, solicitando que os alunos ilustrassem as possíveis soluções na cartolina e defendessem sua visão mediante o que foi discutido. Durante a apresentação das hipóteses pelos alunos, a teorização era incorporada de forma simples e objetiva. IMPACTOS: A metodologia utilizada pelas estagiárias favoreceu o dialogo com esse publico e proporcionou um momento de troca de conhecimentos, sendo enriquecedor para todos os envolvidos. CONSIDERAÇÕES FINAIS: Diante da experiência, nota-se a importância dessa intervenção no ambiente escolar realizada através da integração entre a ESF e a escola. No decorrer da intervenção, os relatos e as hipóteses propostas permitiram o conhecimento da realidade, habilidades, valores e atitudes desses adolescentes, podendo ser utilizado como ponto de partida para elaboração de estratégias de saúde para esse público. Além disso, a problematização estimulou a visão crítica-reflexiva e viabilizou o dialogo sobre a temática, favorecendo o acesso a informação, podendo ser utilizada como estratégia em outras práticas educativas.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.