ULTRASSOM ECOLÓGICO NA ATENÇÃO BÁSICA: PARTICIPAÇÃO DA FISIOTERAPIA

Manuela Arceno, Sara Ghisi Tobaldini, Simone Beatriz Pedroso Viana

Resumo


INTRODUÇÃO: A gestação é um momento especial na vida da mulher, repleta de sentimentos, sensações e grandes expectativas. O Ministério da Saúde tem formulado Políticas de Humanização do Parto e Nascimento com o objetivo de fomentar novos modelos de atenção á saúde da mulher e da criança garantindo acesso, acolhimento e resolutividade. Neste contexto, a atenção básica exerce um papel fundamental de cuidado, valorização e fortalecimento da dignidade da mulher gestante, melhorando sua autoestima, encorajando-a para o autocuidado, além de desenvolver ações de acompanhamento e monitoramento da saúde da gestante e do bebê. A Fisioterapia também pode participar destas ações, visto que possui competências profissionais para o ambiente na atenção básica. O Curso de Fisioterapia da Universidade do Vale do Itajaí (SC) oferta, na organização curricular, estágio supervisionado em Unidades Básicas de Saúde, a iniciativa tem oportunizado uma formação mais qualificada para o cuidado da gestante, parto e puerpério. A experiência aqui relatada se refere a atividade denominada ultrassom ecológico, ou pintura da barriga realizada por acadêmicos do sétimo período e que tem por objetivo realizar a despedida da barriga e a preparação para o parto. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: A atividade inicia com o convite as mulheres acima de 36 semanas gestacionais. A gestante é convidada a permanecer na posição mais confortável possível, a maioria prefere ficar em decúbito dorsal. Realiza-se a manobra de Leopold e ausculta dos batimentos cardíacos fetais, para identificação do posicionamento do bebê. Antes de iniciar o desenho do contorno do bebê sobre a pele da gestante, dialoga-se com esta sobre o sexo do bebê, expectativas, construções mentais e sentimentais para o momento que se avizinha. Nesta conversa surgem desejos, planos e até mesmo imaginários relacionados as escolhas dos pais, como por exemplo o time de futebol preferido, atividades de lazer, cores, figuras que simbolizam preferencias. Após esta aproximação e de posse destes sentimentos inicia-se, a pintura por meio de moldes de bebês e figuras que simbolizem os desejos. São utilizadas tintas antialérgicas e pinceis. Durante a pintura surgem dúvidas sobre o nascimento e assuntos do cotidiano. Para além da pintura, se estabelecem portais de vínculo entre a gestante e os futuros profissionais da saúde. Ao término do ritual da pintura, há um momento de registro fotográfico e socialização entre a gestante e a equipe de saúde da unidade básica. IMPACTOS: A atividade reforça os princípios de vínculo e humanização. As gestantes relatam melhora da auto estima e o empoderamento perante a algumas situações do seu dia a dia, além disso, observa-se a satisfação das gestantes perante o acolhimento da equipe de saúde. CONSIDERAÇÕES FINAIS: Conclui-se com esta experiência que as ações de promoção em saúde são de grande importância para atenção básica e vão além das ações formais, podendo a arte imprimir amplos significados. A atividade oportuniza acesso a todas as populações, independe da situação social. Desenvolve nos acadêmicos a visão quanto ao atendimento humanizado e integralidade tão necessários para atuação profissional.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.