VULNERABILIDADE NA SAÚDE MENTAL DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS: LIGA ACADÊMICA DE SAÚDE COLETIVA (LASAC) - RELATO DE EXPERIÊNCIA

Fabiano Gomes Miranda Pereira, Luana Santos de Andrade, Marcio Costa de Souza

Resumo


INTRODUÇÃO: A rotina universitária é uma das diversas fases na vida de uma minoria da população que ingressa no ensino superior, sendo uma fase que demanda responsabilidades, renúncias, que apresenta vivências positivas e negativas, tanto de forma pessoal quanto coletiva. A trajetória, mais especificamente na graduação que se dá ao longo de 4 a 6 anos requer maturidade, socialização e abdicação. A busca por uma formação superior, futuro promissor, estabilidade financeira ou realização pessoal, traz diversos desafios, como o distanciamento do núcleo familiar, além dos conflitos impostos durante a nova vida realidade, seja na vida acadêmica, pessoal, financeira ou profissional, caso o/a estudante também trabalhe por questão de estabilidade e/ou permanência. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: O relato de experiência foi proporcionado pela Liga Acadêmica de Saúde Coletiva - LASAC, composta por estudantes de graduação dos cursos de Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Medicina e Psicologia, sendo uma liga interdisciplinar que visa discutir saberes e práticas sobre a promoção e produção do cuidado em saúde, que luta por uma Sistema Único de Saúde - SUS de qualidade, que aborda diversas temáticas da saúde coletiva. O relato se deu em uma das sessões formativas tendo a vulnerabilidade dos estudantes universitários como tema, onde estiveram presentes estudantes de diferentes cursos, professores e psicólogas convidadas. A sessão proporcionou aos estudantes a oportunidade compartilhar em forma de roda de conversa, as diversas experiências consequentes da vida acadêmica. Dentre os relatos, ficou nítido a discrepância dos relatos positivos e negativos, onde infelizmente os estudantes tem se tornado alvo da lamentável estatística de vulnerabilidade da saúde mental que é algo preocupante por gerar transtornos mentais, dependências, aprendizado comprometido, dificuldade de enfrentamento da vida, etc. Desta forma, a vida acadêmica se tornou um sistema adoecedor, não só pela carga horária de estudo, atividades internas e externas, mas relata - se a participação negativa pelo corpo docente, oprimindo e reprimindo os estudantes de diversas formas, tornando ainda assim a trajetória mais árdua. IMPACTOS: A experiência proporcionou impactos positivos, como por exemplo, coletividade, cuidado, escuta e compreensão entre os presentes, pois se trata de uma realidade da grande maioria, além de chamar atenção dos setores que devem preocupar com estudante, que neste caso e a pro Reitoria de Assistência Estudantil, representada neste momento. Os negativos por sua vez, chamaram atenção pela sobrecarga e consequências negativas que trajetória acadêmica proporciona, gerando tamanha vulnerabilidade. CONSIDERAÇÕES FINAIS: A formação do estudante é repleta de vivências, que nos leva a lutar, refletir sobre nosso papel como cidadão na sociedade, como estudantes e futuros profissionais da área de saúde. Portanto, conclui - se que a universidade deve criar ações de cuidado permanentes com os estudantes e consequentemente gerar uma formação de profissionais capazes e humanizados.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.