A CONSTRUÇÃO DE UM CURRÍCULO INTEGRADO PARA CURSOS DE GRADUAÇÃO DA ÁREA DA SAÚDE

Magali Teresinha Quevedo Grave, Lydia Christmann Espindola Koetz

Resumo


INTRODUÇÃO: A educação tradicional se constitui de um processo institucional de transmissão de conhecimentos e de inclusão de valores socialmente aceitos. Esta afirmação se comprova, pois através do seu desenvolvimento histórico, os sistemas educativos vêm conservando uma metodologia de ensino que se fundamenta na passagem de informações de professores para alunos e um plano de ensino que se organiza em disciplinas isoladas. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: A educação deve ser capaz de desencadear uma visão do todo, de interdependência e de interdisciplinaridade, além de possibilitar a construção de redes de mudanças sociais, com a consequente expansão da consciência individual e coletiva. Um dos seus méritos está, justamente, na crescente tendência á busca de métodos inovadores, que admitam uma prática pedagógica ética, crítica, reflexiva e transformadora, ultrapassando os limites do treinamento puramente técnico, para efetivamente alcançar a formação do homem como um ser histórico, inscrito na dialética da ação-reflexão-ação. Neste sentido, este relato busca descrever a construção coletiva de um currículo integrado para os cursos de graduação do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS) da Univates, a partir dos fóruns de educação presencial, ocorridos sequencialmente, durante seis semestres, uma vez por semana, desde 2014, no qual participaram coordenadores de cursos e membros dos núcleos docentes estruturantes (NDE) dos cursos de Enfermagem, Ciências Biológicas, Nutrição, Psicologia, Farmácia, Educação Física, Biomedicina, Estética e Cosmética e Fisioterapia. Os fóruns foram orientados pelo Núcleo de Apoio Pedagógico (NAP) e acompanhados pelo coordenador pedagógico do CCBS. Inicialmente foi feita a revisão das matrizes curriculares dos cursos, onde se percebeu a oferta de disciplinas básicas, com ementas semelhantes, porém, nomeadas por curso. Na sequência, temas como Diretrizes Curriculares Nacionais, novas metodologias de ensino, perfil do egresso, avaliação formativa, dentre outros, foram estudados. IMPACTOS: O impacto mais significativo, para além das mudanças ocorridas nos Projetos Pedagógicos dos Cursos (PPC), foi o amadurecimento do grupo de professores, que desenvolveu um olhar mais global e coletivo para o processo de formação discente. Ficou evidente a importância de o futuro profissional vivenciar os pressupostos do Sistema Único de Saúde, tais como a interdisciplinaridade, a integralidade da atenção e interação com a comunidade, desde o início da formação. No fórum do segundo semestre de 2016, foi possível a organização de um currículo integrado. Este se fundamentou no princípio de que a aprendizagem não é alcançada de forma instantânea nem por domínio de informações técnicas, pelo contrário, requer um processo de aproximações sucessivas e cada vez mais amplas e integradas, de modo que o estudante, a partir da reflexão sobre suas experiências e percepções iniciais, observe, reelabore e sistematize seu conhecimento acerca do objeto em estudo. CONSIDERAÇÕES FINAIS: Romper a lógica da fragmentação das disciplinas requer tempo, estudo, exercício e maturação do corpo docente. Contudo, a construção coletiva dos PPC permitiu a apropriação dos professores sobre a necessidade de discutir a formação do profissional de saúde, a implementação de metodologias que estimulem o aprendizado significativo e uma avaliação que propicie feedback aos estudantes sobre sua aprendizagem.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.