ATUAÇÃO FISIOTERAPÊUTICA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE: IMPACTO DE PRÁTICAS RELACIONADAS À PROMOÇÃO DA SAÚDE SOBRE A FORMAÇÃO DE DISCENTES DO CURSO DE FISIOTERAPIA DA UFRN

Matheus Madson Lima Avelino, Marina Lyra Cabral Fagundes, Bruna Raquel Araújo Honório, Sâmara Raquel Alves Fagundes, Gilson José de Moura Filho, Vanessa Patrícia Soares de Sousa

Resumo


INTRODUÇÃO: Os grupos operativos (GOs) são uma das ferramentas utilizadas na Atenção Primária á Saúde (APS), tendo como foco principal a promoção da saúde, do cuidado e na resolutividade dos problemas. Objetiva-se orientar os sujeitos á tomarem decisões mais conscientes em relação á hábitos de vida e ao controle dos determinantes de saúde. Nessa perspectiva e, em virtude da reorientação dos modelos assistenciais e educativos, há uma crescente necessidade de capacitar os estudantes e profissionais da saúde para lidar com as necessidades da população, considerando os aspectos de prevenção e promoção da saúde. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: Este relato de experiência é resultante das atividades relacionadas ao componente curricular Prática Supervisionada na Atenção Básica, do curso de Fisioterapia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). O estágio aconteceu na Unidade de Saúde da Família (USF) de Brasília Teimosa, localizada no município de Natal, Rio Grande do Norte. A USF de Brasília Teimosa conta com duas equipes mínimas da atenção básica e não recebe apoio matricial do Núcleo de Apoio á Saúde da Família (NASF). Durante o estágio, os discentes planejaram e conduziram dois grupos: um destinado a usuários com dores crônicas, onde eram realizadas atividades de educação em saúde sobre ergonomia, proteção articular e conservação de energia, métodos não farmacológicos de analgesia e orientação de exercícios físicos e outro grupo destinado para pessoas com obesidade, onde aconteciam tanto a prática de exercícios quanto atividades de educação sobre a obesidade e suas consequências para a saúde. O planejamento foi feito de acordo com as principais demandas de saúde relatadas pelas equipes da unidade e aconteciam semanalmente. As metodologias utilizadas durante os encontros baseavam-se na educação popular, consistindo de roda de conversa e dinâmicas facilitadoras, valorizando sempre os saberes dos usuários. IMPACTOS: A experiência de lidar com promoção de saúde na Atenção Primária confrontou a concepção do fazer fisioterapêutico dos discentes, usuários e equipe de saúde. Devido ao desenvolvimento histórico da Fisioterapia ter se dado no âmbito da atenção terciária com um caráter curativista e biologicista, a prática de muitos profissionais caracterizou-se por técnicas e métodos intervencionista, especializados e individuais. Para a atuação dos discentes de fisioterapia na APS foi necessário o uso de outros tipos de tecnologias e conhecimentos, como a escuta qualificada, a criação de vínculo, habilidades de comunicação e competências culturais. Além disso, foram necessárias práticas educativas em saúde, com ausência de caráter impositivo e inquisidor, mas que empoderassem a população, valorizando e construindo, em conjunto, os saberes e ações. CONSIDERAÇÕES FINAIS: O trabalho com grupos de promoção de saúde através da educação e empoderamento da população estimulou o desenvolvimento e aprendizado das competências e habilidades requeridas na formação em fisioterapia, contribuindo para ampliação da visão dos discentes em relação ás possibilidades de atuação profissional.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.