CASO CLÍNICO: LESÃO MEDULAR

João Pedro Carvalho da Silva, Állison Igor Santos de Assis, Rylmara Karla Rolins Feitosa, Suellen Moura dos Santos, Natália Herculano Pereira

Resumo


INTRODUÇÃO: O presente trabalho aborda o relato de experiência de um trabalho realizado no 2º período do curso de fisioterapia onde foi realizado um estudo de caso de um paciente com lesão medular atendido na Clínica Escola de Fisioterapia do UNIPÊ. A experiência em relação a esse projeto foi muito importante para o desenvolvimento dos discentes em questão, tanto de forma acadêmica como profissional, pois ele mostrou como se dá a vivência de uma prática fisioterapêutica diária com pacientes e suas patologias. O paciente avaliado, B. S. P., atualmente com 24 anos, paraibano, pardo, com ensino fundamental incompleto e atualmente aposentado, é portador de lesão medular que o deixou num quadro de paraplegia incompleta com nível neurológico sensorial T12 e motor L2. Na época do estudo o mesmo realizava certas AVD's independentemente, como escovar os dentes, se locomover, vestir-se, alimentar-se. A partir desses dados avaliados, foi possível a elaboração de um plano de tratamento. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: Após cerca três atendimentos acompanhando a avaliação e o início do tratamento do paciente na Clínica Escola de Fisioterapia no período da tarde, foi possível observar a realização de todos os testes específicos para a patologia dele até a elaboração de um programa de tratamento junto com o professor responsável. Foram realizados testes ortopédicos e testes neurológicos, para a obtenção de, entre outros fatores, teste de força, teste de amplitude de movimento, testes de sensibilidade a diversos estímulos externos como frio, calor, dor, tato superficial e profundo. O seu tratamento consistiu em cinesioterapia para membros inferiores, ganho de força para os membros superiores para uma melhor locomoção na cadeira e para transferências de locais. Dentre os meses de março a junho de 2016 acompanhamos o paciente em busca de novidades sobre seu caso clínico. Todos os alunos envolvidos no estudo de caso realizaram buscas e visitas em grupo ou individualmente para a apreensão de todos os dados necessários. IMPACTOS: Esse trabalho proporcionou uma ótima experiência do que será a vida de fisioterapeuta, como devemos atuar na hora de uma avaliação, pois essa avaliação é peça fundamental para a elaboração de um programa de tratamento que melhor cabe naquele momento para o paciente avaliado. Nos trouxe também alguns pontos que devemos melhorar como acadêmico, como a melhora no atendimento, a importância do estudo de caso, a precisão da aplicação do plano de tratamento e também a noção de que as vezes, é preciso alterar esse plano para condizer com as necessidades do paciente. CONSIDERAÇÕES FINAIS: O acompanhamento desses atendimentos foi o primeiro contato com a profissão em si, causando um certo nervoso e euforia ao ver que em pouco tempo seriam nossos pacientes em tratamento e que nós seríamos os fisioterapeutas com essa responsabilidade. O que se pode dizer dessa experiência é que a responsabilidade é grande, mas que a recompensa ao ver o paciente ganhando sua funcionalidade de volta é mais que gratificante.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.