COMPETÊNCIA CULTURAL NA ATENÇÃO À SAÚDE DA MULHER QUILOMBOLA

Fernanda Gabrielle Mendonça da Silva, Matheus Oliveira Lacerda, Louise Valeska Soares Pinto de Souza, Ana Karla Monteiro Santana de Oliveira Freitas, Lilian Lira Lisboa, Carolina Araújo Damásio Santos, Reginaldo Antïnio de Oliveira Freitas Junior

Resumo


INTRODUÇÃO: Competência Cultural é comumente definida como a combinação de conhecimentos, atitudes e habilidades necessárias para que os profissionais da saúde sejam hábeis em interagir eficazmente com populações cultural e etnicamente diversas. O profissional da saúde socialmente responsável deve procurar melhor compreender a realidade de cada indivíduo para promover cuidado mais efetivo e culturalmente competente. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: A disciplina Competência Cultural na Atenção á Saúde da Mulher Quilombola representa componente curricular eletivo de educação interprofissional e busca a interação ensino-servio-comunidade, inserindo os estudantes de graduação da UFRN na estratégia da pesquisa-ação para implementação de serviço de atenção interprofissional no pré-natal, baseado nas necessidades da comunidade quilombola Capoeiras, em Macaíba-RN. A disciplina objetiva proporcionar aos estudantes a vivência integrada de conhecimentos, habilidades e atitudes necessárias para o desenvolvimento de competências culturais no contexto da atenção á saúde e educação de populações cultural e etnicamente diversas. No que se refere á dimensão cognitiva, aborda o conhecimento dos processos que influenciam a saúde e cuidados de saúde da população quilombola. Quanto ao componente atitudinal, busca estimular a capacidade reflexiva acerca dos diversos valores de saúde, crenças, comportamentos, sua própria bagagem sociocultural, a formação racista da sociedade brasileira e a consequente marginalização das comunidades afrodescendentes e a relativa invisibilidade de suas contribuições e necessidades. O elemento de habilidades se concentra nas habilidades de comunicação e compreensão dos determinantes sociais, culturais, comportamentais, psicológicos, ecológicos, éticos e legais, nos níveis individual e coletivo, do processo saúde-doença das mulheres quilombolas. A percepção dos estudantes sobre a participação na disciplina foi avaliada pela técnica de grupo focal. Os dados foram analisados qualitativamente, pela técnica de análise de conteúdo temática categorial. O projeto foi aprovado pelo Comitê de ética em Pesquisa do Hospital Universitário Onofre Lopes/UFRN conforme Parecer 1.360.679/2015. IMPACTOS: A percepção discente reconhece no componente curricular a oportunidade de desenvolver uma visão diferenciada das relações sociais implicadas no cuidado em saúde. Adicionalmente, os estudantes valorizaram tanto a compreensão teórica dos conteúdos sobre a cultura quilombola no Brasil, quanto a vivência prática das questões relacionadas á diversidade cultural como fatores de grande importância para o desenvolvimento de maturidade pessoal e profissionalismo na graduação em Fisioterapia. CONSIDERAÇÕES FINAIS: As oportunidades dos estudantes conhecerem a situação de saúde da população quilombola e vivenciarem o trabalho interprofissional na atenção á saúde dessa população específica demonstraram ser estratégias efetivas para potencializar o desenvolvimento de competências culturais na formação em saúde.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.