ESTÁGIO OBSERVACIONAL PARA ALUNOS RECÉM-INGRESSOS NO CURSO DE FISIOTERAPIA: UMA OPORTUNIDADE DE VIVÊNCIA DA PRÁTICA CLÍNICA DO FISIOTERAPEUTA E APROXIMAÇÃO TEÓRICO-PRÁTICA

Marcilene Glay Viana Pessoa, Luciana Costa Melo

Resumo


INTRODUÇÃO: Para estudantes recém-ingressos na universidade, além do não contato com o paciente, as quatorze especialidades inseridas no campo de atuação da fisioterapia são, geralmente, desconhecidas. Isso dificulta a identificação com o curso e a desmistificação de determinadas áreas. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: A turma XX de fisioterapia no segundo período (2016.2) foi dividida em grupos de três ou quatro alunos que acompanharam os atendimentos realizados nos campos de estágio da UNCISAL em nível ambulatorial. Cada aluno realizou o estágio observacional uma vez por semana, por 4 horas seguidas no mesmo setor. A cada três semanas os alunos mudavam o setor de acompanhamento. A atividade estimulou a troca de conhecimento entre os alunos do primeiro ano, estagiários do 5º ano, professores, preceptores e pacientes. Foram utilizados 6 campos de estágio, quatro destes no Centro Especializado em Reabilitação de Alagoas, na Clínica Escola de Fisioterapia: (1) Fisioterapia em pediatria; (2) Fisioterapia respiratória; (3) Fisioterapia Traumato-ortopédica; (4) Fisioterapia em neurologia. O estágio observacional de (5) Fisioterapia Esportiva foi realizado no Centro Especializado em Fisioterapia e Reabilitação Esportiva (Cefire). A atuação da fisioterapia na (6) Saúde Coletiva foi observada em duas Unidades Básicas de Saúde localizadas em um Bairro da periferia de Maceió, sendo o foco o trabalho do fisioterapeuta no Núcleo de Apoio á Saúde da Família (Nasf), promoção da saúde, atendimento coletivo e participação em equipes multiprofissionais. IMPACTOS: Foi uma experiência enriquecedora onde os alunos puderam vivenciar a prática profissional do fisioterapeuta, e conhecer aspectos profissionais pouco difundidos para a população geral. A matriz curricular do curso de fisioterapia em seu primeiro ano contempla disciplinas de conhecimentos básicos, a princípio distantes da prática clínica. Essa experiência facilitou o entendimento da aplicabilidade de tais conteúdos teóricos por meio da visualização da aplicação de procedimentos terapêuticos que necessitam do embasamento de conceitos estudados em sala de aula. Além de apontar possibilidades de atuação, desfez ou confirmou conceitos prévios sobre determinada especialidade. Ademais proporcionou-se a experiência das responsabilidades quanto ao cumprimento de horários e vestimentas adequadas ao ambiente de trabalho, que deve desde o início ser incrementada na rotina acadêmica do aluno. O trabalho integrado de professores de disciplinas básicas com professores preceptores contribuiu para o sucesso do projeto. A permissão para que os alunos do primeiro ano do curso auxiliassem em procedimentos realizados pelos fisioterapeutas criou um clima de acolhimento e estimulo aos alunos recém-ingressos. CONSIDERAÇÕES FINAIS: A inserção de alunos recém-ingressos em atividades práticas proporciona o conhecimento da profissão escolhida e o esclarecimento da perspectiva vocacional. A visualização da atuação profissional permite o entendimento da importância dos conceitos estudados em disciplinas básicas. Além disso, os alunos passam a trazer para a sala de aula dúvidas sobre os procedimentos observados, gerando uma aproximação entre teoria e prática.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.