ESTIMULANDO A APLICAÇÃO DE METODOLOGIAS ATIVAS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA - TEAM BASED LEARNING

Vanda Cristina Galvão Pereira, Edilceia Domingues do Amaral Ravazzani, Cíntia Raquel Bim, Rubneide Barreto Silva Gallo

Resumo


INTRODUÇÃO: O cenário da educação vem ordenando inovações para que a construção da aprendizagem do aluno seja significativa e que o desenvolvimento de competências aconteça durante toda a formação. Assim, a utilização das metodologias ativas é encorajada como parte integrante do processo de ensino-aprendizagem, favorecendo a construção progressiva da autonomia do estudante, inclusive na educação superior. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: Durante o I Fórum de Ensino em Fisioterapia do Paraná, promovido pela Associação Brasileira de Ensino em Fisioterapia do Paraná - ABENFISIO PR, com o tema O ENSINO DE FISIOTERAPIA NO ESTADO DO PARANÁ: ONDE ESTAMOS E PARA ONDE VAMOS? foi proposta a realização de uma oficina sobre "Team Based Learning (TBL)" ou Aprendizagem Baseada em Equipes (ABE), com o objetivo de fomentar os docentes e discentes quanto á utilização desta metodologia no processo de ensino-aprendizagem, escolhida por ser indicada para aplicação em grandes grupos. . IMPACTOS: A oficina contou com 18 participantes e os pontos fortes descritos por eles foram que o método refere-se a uma prática dinâmica, interativa que promove aprendizado, integração com o grupo de forma argumentativa estimulando o trabalho em equipe e tem a possibilidade de trabalhar em turmas com grande número de estudantes. Os pontos considerados fracos por alguns participantes foram a dificuldade de pontuar o questionário, não conhecer o assunto abordado, curto tempo para execução da atividade e principalmente ao relacionar com carga horária da disciplina. CONSIDERAÇÕES FINAIS: Quando questionados sobre a contribuição individual de cada um dos componentes numa escala de 0-10, a média foi 8.1 e a contribuição do grupo na atividade a média foi 9.6.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.