EXPERIÊNCIA DE APLICAÇÃO DA CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DE FUNCIONALIDADE E INCAPACIDADE DURANTE DISCIPLINAS NA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

Bruna da Silva Sousa, Juliana Aparecida Elias, Vera Regina Fernandes da Silva Marães

Resumo


INTRODUÇÃO: A Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade de Saúde (CIF) trata-se de uma classificação que permite a verificação das condições em saúde do indivíduo, passeando sobre os domínios de funções e estruturas do corpo, atividade e participação e fatores ambientais, verificando para cada domínio, os agentes facilitadores e incapacitantes. A Organização Mundial da Saúde, SUS e COFFITO preconizam o uso da CIF, de forma a abranger aspectos estatísticos, investigação clínica, política social e pedagógica, valorizando assim o modelo biopsicossocial em detrimento do modelo biomédico reducionista. Com isso, o curso de Fisioterapia da Universidade de Brasília insere essa classificação em algumas disciplinas afim de treinar os discentes ao uso da classificação como ferramenta clínica. Objetivos: Apresentar a experiência de aplicação da Classificação Internacional de Funcionalidade e Incapacidade durante disciplinas na Universidade de Brasília. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: Durante um semestre foi realizado em uma disciplina a utilização da CIF como ferramenta clínica para a determinação da condição em saúde de voluntários. Deste modo, a CIF era aplicada nos próprios familiares dos discentes, sendo cronometrado o tempo de aplicação e somado ao final o número de marcações nos domínios e o número de itens tidos como agentes facilitadores e incapacitantes. IMPACTOS: A experiência demonstrou que o tempo médio de aplicação foi de 60 minutos, sendo que muitos dos códigos não se aplicavam aos entrevistados, além disso, a metodologia de aplicação da CIF é de difícil compreensão para os discentes e que é necessário um embasamento teórico-prático maior, tanto para otimizar o tempo de aplicação quanto para maior abrangência da condição de saúde e tomada de decisão clínica. Outro aspecto observado, é a importância dessa classificação para compreensão das dificuldades do indivíduo nos seus ambientes de convivência e os impactos nos aspectos emocionais. CONSIDERAÇÕES FINAIS: As experiências vivenciadas durante a disciplina em relação a aplicação da CIF, permitem confirmar sua importância na prática clínica da fisioterapia, porém observou-se que quanto maior o embasamento teórico da CIF, menor será o tempo de aplicação, e mais eficiente será a tomada de decisão clínica, haja vista que, quando bem aplicada, a CIF proporciona uma nova percepção da condição de saúde do indivíduo, pois não somente fatores biológicos mas também sociais, ambientais e pessoais são levados em consideração, contemplando assim, a Saúde no seu sentido mais amplo. Portanto, é preciso que os alunos tenham um contato maior com essa valiosa ferramenta de avaliação, de forma que se faz necessário novas abordagens pedagógicas que abarquem o tema visando uma maior imersão do discente nessa temática.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.