INSERÇÃO DA LINGUA INGLESA NAS AVALIAÇÕES SOMATIVAS DE UMA DISCIPLINA DO CURSO DE FISIOTERAPIA DA EMESCAM

Bruna Ribeiro dos Santos, Gracielle Pampolim

Resumo


INTRODUÇÃO: Há alguns anos atrás, o conhecimento da língua inglesa era considerado apenas um componente extra curricular de uma minoria privilegiada, mas atualmente tem sido cada vez mais utilizada e exigido, especialmente na área da saúde, onde é considerada língua padrão. Para se praticar a chamada Saúde Baseada em Evidência, é exigido de alunos e profissionais de saúde pelo menos algum grau de conhecimento da língua inglesa, visto que os principais periódicos da área publicam prioritariamente, quiá exclusivamente, artigos e inglês. Dessa forma, entende-se que saber ler e compreender tal idioma tornou-se essencial para a utilização de recursos e práticas atuais e comprovadas, possibilitando assim melhores chances de recuperação e melhores condições de saúde para a população. Objetivo: Descrever a experiência de uma aluna do curso de fisioterapia sobre a inserção da língua inglesa nas avaliações somáticas da disciplina de Saúde do Adulto. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: A disciplina de Saúde do adulto tem ementa pautada no estudo da saúde do adulto no contexto das políticas de saúde nacionais. Para o desenvolvimento da disciplina, são utilizadas duas formas distintas de metodologias ativas, o Team Based Learning - TBL e o Problem Based Learning - PBL, sendo o PBL adotado para a maioria dos módulos estudados. Nos módulos PBL as avaliações são feitas de forma formativa e somativa, as avaliações somativas da disciplina são individuais, com duração média de uma hora e são compostas por questões objetivas referentes aos casos clínicos previamente estudados e discutidos em grupo. A avaliação é predominantemente na língua portuguesa, entretanto, há em todas elas pelo menos duas questões na língua inglesa, sendo estas de pontuação extra ao total da prova. IMPACTOS: A importância do inglês para o meu crescimento acadêmico, pessoal a social é incontestável, todavia, desde o ensino médio enfrento dificuldades em aprender este idioma. A iniciativa de inserir questões de língua estrangeira nas avaliações somáticas da disciplina, inicialmente não foi vista com bons olhos por mim ou pela turma, mas com o tempo fomos percebendo que a insistência dos professores o fato de saber que teríamos questões em inglês nas provas nos estimulava a estudar o idioma para conseguir entender e resolver tais questões. Dessa forma, essa novidade me incentivou a superar minhas dificuldades com o idioma e até mesmo aprecia-lo, uma vez que este tem se tornado cada vez mais presente na minha formação acadêmica, além de ser o principal idioma para elaboração e disseminação do conhecimento cientifico. CONSIDERAÇÕES FINAIS: Acredita-se que a inserção da língua inglesa nas avaliações pode estimular a busca pelo conhecimento deste idioma e possibilita que os alunos quebrem barreiras e tenham a oportunidade de se tornar cada vez mais críticos, atualizados e preparados para a vida acadêmica e profissional.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.