LIGA ACADÊMICA DE ELETROTERMOFOTOTERAPIA: RELATO DE EXPERIÊNCIA NA FORMAÇÃO DE FISIOTERAPEUTAS

Jamille Evelyn Rodrigues Souza Santana, Ana Louise Reis de Carvalho, Ana Carla Teixeira dos Santos, Cléber Luz Santos

Resumo


INTRODUÇÃO: A liga acadêmica é uma entidade sem fins lucrativos, organizada por estudantes e orientada por docentes, que cumpre os mesmos objetivos da Universidade: ensino, pesquisa e extensão. Tem por finalidade congregar alunos e profissionais, que tenham interesse em aprofundar os conhecimentos sobre uma área ou tema em específico. Neste contexto, a Liga Acadêmica de Eletrotermofototerapia (LAE) surge diante da necessidade de aprofundar os conhecimentos acerca dos recursos eletrotermofototeraputicos, voltados á fisioterapia, de modo a aproximar a teoria da prática. Ademais, corrobora para complementar a graduação, visto que a carga horária destinada a este componente curricular, por vezes, se mostra insuficiente. Objetivos: Relatar a experiência de discentes envolvidos numa liga acadêmica de eletrotermofototerapia e sua contribuição na formação dos mesmos. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: A LAE realiza suas atividades semanalmente. Nas sessões internas são discutidos artigos, realizada capacitação para utilização de recursos terapêuticos e organização de eventos científicos. As sessões abertas são voltadas á toda comunidade acadêmica, apresentando temas atuais e relevantes sobre a eletrotermofototerapia aplicada a prática clínica. Ademais, são promovidos workshops e cursos com intuito de difundir o conhecimento sobre a prática baseada em evidência para profissionais e estudantes de fisioterapia. No que tange a extensão, a LAE proporciona a aproximação da academia á comunidade através de atividades educacionais, cuja temática visa a melhora da qualidade de vida e capacidade funcional. Em se tratando de pesquisa científica, a liga estabelece parceria com o Laboratório de Eletroestimulação Funcional da Universidade Federal da Bahia, atuando na linha de pesquisa em neuromodulação e dor. IMPACTOS: As discussões fomentadas internamente e nas sessões abertas, sobre os diversos recursos, sua utilização e aplicação, proporcionam embasamento científico e um posicionamento crítico frente á prática clínica; contribuindo com a formação acadêmica e profissional dos ligantes e não-ligantes. Desta forma, permite uma utilização mais consciente dos recursos, bem como dos parâmetros adotados, evitando uma postura meramente tecnicista. Quanto a pesquisa, a liga tem conseguido engajar seus membros em projetos de pesquisa, aproximando-os da escrita científica e contribuindo para disseminação do conhecimento produzido e construído na liga para o meio científico, isto porque além dos estudos desenvolvidos, os membros são incentivados a participar de eventos e apresentar trabalhos desenvolvidos pelo grupo. Por compreender a importância de atividades que aproximem a Universidade da comunidade, a LAE também participa de feiras de saúde, ações em asilos e centros comerciais, de modo a difundir conhecimento acerca da fisioterapia, da utilização dos recursos eletrotermofototeraputicos na prática clínica e promover educação em saúde. Ademais, a liga permite que seus membros desenvolvam habilidades, como: autogestão, pró-atividade, liderança e cooperação entre os seus membros. CONSIDERAÇÕES FINAIS: Assim, a LAE tem desenvolvido atividades de ensino, pesquisa e extensão, colaborando para o desenvolvimento da fisioterapia e dos membros. Com propostas extensionistas têm promovido saúde e prevenção de agravos na comunidade, bem como desenvolvido potencialidades e habilidades dos ligantes.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.