ORIENTAÇÃO ACADÊMICA DE ESTUDANTES DE FISIOTERAPIA ATRAVÉS DE PLANTÕES DOCENTES: RELATO DE EXPERIÊNCIA DO NÚCLEO DE APOIO PEDAGÓGICO E EXPERIÊNCIA DOCENTE - NAPED

Leonildo Santos do Nascimento Júnior, Aliceana Ramos Romão de Menezes Araújo, Pollyana Soares de Abreu Morais, Miriam Lúcia da Nóbrega Carneiro, Ana Paula de Jesus Tomé Pereira, Andréa Carla Brandão da Costa Santos, Maria Elma de Souza Maciel Soares, Rosa Camila Gomes Paiva

Resumo


INTRODUÇÃO: Na última década, foi perceptível o aumento na oferta e na procura pela educação superior no Brasil. Este processo foi impulsionado pela democratização do acesso ao ensino superior. Em 1997, eram 1 945 615 alunos matriculados, sendo que em 2012 esses números foram de 7 037 688, representando um salto significativo, segundo o INEP. Neste viés, a formação acadêmica com qualidade, de um público oriundo de diferentes realidades sociais e educacionais, só é atingida através de estratégias que valorizem a adaptação ao ensino universitário, através da valorização das capacidades e potencialidades individuais dos discentes na perspectiva de sua habilitação profissional. Portanto, este trabalho pretende relatar a experiência da orientação acadêmica ofertada aos acadêmicos de fisioterapia do Centro Universitário de João Pessoa - Unip, através de plantões de atendimento por docentes do Núcleo de Apoio Pedagógico e Experiência Docente (NAPED) do referido curso. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: O NAPED foi criado em 2016, através da resolução Nº 11 do Conselho de Ensino e Pesquisa da instituição com o intuito de estabelecer um canal de comunicação que visa medidas de apoio á qualidade da aprendizagem discente. No âmbito das ações do NAPED, uma das estratégias envolvem os plantões docentes para a escuta sigilosa e resolução de questões relacionadas a dificuldades enfrentadas pelos alunos na sua trajetória acadêmica, junto aos órgãos competentes da universidade. O serviço é ofertado a todos os alunos matriculados no curso de fisioterapia, em livre demanda, conforme horário e dia disponibilizados pelos docentes. Foram efetuados, no período de março a junho de 2017, um total de 42 atendimentos aos discentes. Analisando-se os motivos da procura ao NAPED por parte dos discentes, observou-se que os motivos de procura mais comuns foram: solicitação de orientação acadêmica e pedagógica para superar dificuldades relacionadas ao estudo de algumas unidades curriculares do curso, bem como para facilitar a assimilação do conteúdo destas unidades, a fim de evitar mau rendimento nos componentes curriculares; relatos de dificuldades de comunicação com o docente tanto em sala de aula como nos campos de prática e dificuldades de relacionamento entre discentes. Com as escutas, são identificadas as barreiras e os fatores que dificultam o processo individual de ensino-aprendizagem, o que gera encaminhamentos para possíveis resoluções, que vão desde o acompanhamento psicológico, psicopedagógico e a orientação para a melhoria do aprendizado, incluindo a construção de cronogramas individuais de estudo. IMPACTOS: Através da análise da experiência, foi possível verificar, numa perspectiva institucional, resultados positivos no que se refere a melhoria do rendimento acadêmico dos alunos acompanhados pelo NAPED. CONSIDERAÇÕES FINAIS: Com as reflexões apresentadas, v-se os plantões do NAPED como uma abordagem eficaz na valorização das potencialidades dos acadêmicos de fisioterapia para obtenção do sucesso acadêmico e formação profissional.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.