PARTICIPAÇÃO DISCENTE NO PROGRAMA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA: UMA FORMAÇÃO PEDAGÓGICA E SOCIAL

Vera Lúcia Israel, Ana Caroline Felix Souza, Nicole Almeida, Adriano Zanardi Silva, Bruna Yamaguchi, Karize Rafaela Mesquita Novakoski, Luize Bueno de Araujo

Resumo


INTRODUÇÃO: O Programa de Iniciação á Docência (PID) oportuniza aos discentes estudar, desenvolver e aplicar competências teórico-práticas e pedagógicas para o magistério. O objetivo deste estudo é descrever as atividades e as habilidades de estudantes monitores em disciplinas do curso de graduação de Fisioterapia da Universidade Federal do Paraná (UFPR). DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: As disciplinas aqui contempladas foram Panoramas da Fisioterapia no Brasil e no "Mundo" e "Fisioterapia Neurofuncional I", ofertadas no primeiro e terceiro períodos, respectivamente. Cada disciplina teve uma monitora com afinidade na área, o plano de trabalho foi dividido em duas etapas: a primeira com a formação pedagógica de iniciação á docência teve como objetivo conhecer e compreender artigos, livros, legislação com as diretrizes curriculares nacionais e guidelines internacionais sobre a pedagogia de aprendizagem por projetos e pilares educacionais, além da reflexão de estudiosos da área como Paulo Freire a segunda com as habilidades específicas de cada disciplina, a qual abrangeu as ações de agir e propor sobre as áreas temáticas de cada ementa e planos de ensino, orientação de estudantes na qual a monitora intermediava a comunicação entre a turma e o docente, contribuía com tarefas pedagógicas e avaliava, sob o ponto de vista do discente, o andamento da disciplina para reconstruir o contrato didático durante o semestre. Foram realizadas reuniões semanais para reflexão e discussão do material pedagógico, das demandas discentes até a construção de um plano de ensino para uma aula da monitora dentro do semestre letivo. . IMPACTOS: Quanto á etapa de formação pedagógica tal abordagem de metodologia ativa levou ao pensamento crítico e humanizado, com (re)significação de conceitos educacionais diferenciados teórico-práticos na busca de evidências científicas. As ações da segunda etapa proporcionaram o contato direto com os discentes das disciplinas e a vivência da prática docente no ambiente acadêmico para favorecer o pensamento crítico com relação á sociedade e sua forma de organização, o modo de ensino em Fisioterapia, a metodologia pedagógica utilizada em sala de aula e o perfil do aluno do século XXI. CONSIDERAÇÕES FINAIS: A participação no PID contribuiu para a reflexão da futura prática profissional como fisioterapeuta clínica ou na docência. Com uma visão da indissociabilidade entre ensino-pesquisa-extensão em benefício á sociedade ao respeitar a realidade local e regional.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.