RELATO DE EXPERIENCIA: A VISÃO DAS ACADÊMICAS DO PET GRADUA SUS SOBRE A APLICAÇÃO DA AVALIAÇÃO DO PÉ DIABÉTICO NA UBSF LOS ANGELES DO MUNICIPIO DE CAMPO GRANDE MS

Alini Nunes de Oliveira, Amanda Medeiros Gomes, Jéssica Maria Lira de Oliveira, Leila Simone Foerster Merey, Marta Ferreira Espinosa

Resumo


INTRODUÇÃO: O pé diabético é considerado uma complicação do Diabetes mellitus e a maior causa de amputações de membros inferiores. Para evitar seu aparecimento e suas repercussões são necessárias medidas preventivas como orientações de autocuidado e competentes avaliações. O exame periódico dos pés propicia a identificação precoce e o tratamento oportuno das alterações encontradas. O objetivo foi Verificar o conhecimento dos usuários diabéticos acerca de cuidados preventivos, recebimento de orientações quanto ao pé, e observar a aplicabilidade da avaliação. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: Vivência de campo com duração de 6 meses na UBSF Los Angeles do Município de Campo Grande MS, no ano de 2016, proporcionado pelo PET GRADUASUS, envolvendo dez usuários diabéticos do tipo 2, três acadêmicas de fisioterapia e uma preceptora odontóloga. Foi realizado exame físico dos pés, entrevista estruturada e orientações de autocuidado. A aplicação do exame tornou-se um desafio prático para as acadêmicas visto pela necessidade de desenvolver habilidades e capacidades profissionais ofertadas neste cenário, tanto com a ficha de avaliação em que foi proposta mudanças e aperfeiçoamentos como também o relacionamento interdisciplinar exercitado com a equipe da UBSF. No exame a parte de avaliação física verificou-se grandes alterações. Quanto as orientações fornecidas pelos profissionais de saúde, avaliou-se eficácia porém uma aparentemente dificuldade de adesão ao paciente sobre tais informações e orientações importantes, como realizar exame periódico do pé diabético e não somente uma única vez, isso na maioria das vezes deve-se a construção de conceitos no decorrer da vida, o que leva há uma certa resistência á ideias novas. IMPACTOS: São necessárias adequações do acompanhamento individual levando em consideração o grau de conhecimento e a facilidade para processar as informações do grupo hiperdia da unidade. Os itens de menor adesão são os mais simples e passíveis de correção, sendo resultante até mesmo de uma boa comunicação se fazendo por meio de educação em saúde. Portanto é preciso investir em ferramentas e programas para a qualificação do cuidado á pessoa com diabetes, modificando as formas de abordagem aos usuários e considerando as melhores evidências como guias para a prática clínica cotidiana. CONSIDERAÇÕES FINAIS: O programa PET GRADUASUS como um programa desenvolvido pelo Ministério da Saúde, favorece o diálogo de educação em saúde junto a comunidade e auxilia na quebra de paradigmas em meio ás equipes de saúde e a formação profissional.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.