TEAM-BASED LEARNING (TBL): MODELO ADAPTADO PARA AVALIAÇÃO E DISCUSSÃO DE CASOS CLÍNICOS

Aliceana Ramos Romão de Menezes Araújo, Simone Gomes Torquato, Olívia Galvão Lucena Ferreira, Wilson Wilson César de Vasconcelos Leitão, Leonildo Santos do Nascimento Júnior

Resumo


INTRODUÇÃO: Atualmente, muitos cenários educacionais brasileiros têm sido desafiados a formar profissionais com habilidades e competências no exercício da profissão. Não basta ser detentor do saber e dominar as técnicas do processo de trabalho, mas deve ser considerado as relações interpessoais imbricadas no processo de construção do saber. Visando promover quebra de paradigma de um ensino tradicional que não atende mais as necessidades dos alunos e buscando transformar o processo de ensino-aprendizagem valorizando o papel ativo do aluno na construção da sua educação formativa, tem sido adotado as metodologias ativas. Diante disso, o curso de fisioterapia do Centro Universitário de João Pessoa (UNIPÊ) disponibiliza capacitação docente e estimula a utilização das metodologias ativas nas salas de aula, dentre elas a metodologia baseada em equipes que consiste em uma estratégia pedagógica que anseia criar ambientes de aprendizagem a partir da perspectiva do beneficiamento do trabalho em pequenos grupos. Neste contexto, esta experiência diz respeito a uma abordagem pedagógica baseado nesta metodologia de ensino junto aos discentes do quinto período do curso de fisioterapia, matriculados na disciplina de fisioterapia em reumatologia. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: Primeiramente foi solicitado que os discentes se preparassem para a tarefa, a partir de pesquisas sobre a assistência fisioterapêutica em 6 (seis) tipos diferentes de doenças reumáticas, o que valorizava o conhecimento prévio dos alunos. A atividade foi realizada em um espaço amplo, para permitir a formação de 8 grupos com 7 discentes, sendo importante destacar que a divisão dos grupos se baseou na heterogeneidade entre os membros. Inicialmente, foi aplicado um teste de avaliação com 8 questões relacionadas a casos clínicos sobre os temas previamente estudados. Nesta etapa inicial, as respostas foram individuais. Na sequência, o mesmo teste de avaliação foi aplicado, mas para gerar discussões e a concordância com a equipe previamente formada para se consensuar uma resposta única da equipe. Após a resolução em grupo, cada equipe revelou, simultaneamente, as respostas para cada uma das questões do teste, o que subsidiou uma discussão com a participação dos docentes, que levou a revisão de postos-chave do processo de aprendizagem do tema. Cada etapa teve entre 20 e 30 minutos de duração. IMPACTOS: A realização da experiência descrita se tornou um facilitador do processo ensino-aprendizagem, através de elementos como a valorização do conhecimento prévio do aluno e a formação das equipes de aprendizagem, permitindo trocas de experiências na referida área de saber. CONSIDERAÇÕES FINAIS: A estratégia pedagógica, que utilizou como base o TBL, conferiu uma maior motivação para a apreensão individual de temas relevantes na ação fisioterapêutica em reumatologia, frente a aplicação dos mesmos num contexto de aplicação prática através da formação das equipes.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.