PROJETO APLICATIVO SOBRE O PROCESSO DE GESTÃO E PLANEJAMENTO NA ATENÇÃO HOSPITALAR

Kionara Carollynne Portela Macêdo Brito, Anaysa Cunha Alves, Gerlane dos Santos Bezerra, João Barsi Neto, Ana Maria Delgado Santos, Dostoievsky Ernesto de Melocentro

Resumo


INTRODUÇÃO: Compete á gestão pública o monitoramento e a inspeção de produtos e serviços, com intuito de prevenir e reduzir os riscos á saúde individual e coletiva. Na atenção hospitalar o Sistema Único de Saúde (SUS) ainda sofre problemas relacionados á sua gestão devido ao financiamento publico insuficiente e as interferências políticas, que comprometem sua reputação perante seus usuários. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: O projeto integrador é uma das atividades curriculares utilizadas como estratégia pedagógica do Centro Universitário de João Pessoa (UNIPÊ) a fim de viabilizar a articulação de saberes. No 7¡ período letivo, do curso de Fisioterapia, é proposto que os discentes realizem esse projeto com ênfase na Gestão e Planejamento nos três níveis de atenção a saúde, utilizando como metodologia o Projeto Aplicativo, método que busca o desenvolvimento de capacidades para intervenção e transformação da realidade, gerando projetos reais os quais buscam serem: potentes, viáveis e factíveis. O projeto aplicativo foi realizado num hospital público na cidade de João Pessoa - PB, no período de maio a junho de 2017, através da analise situacional de processos de gestão e o planejamento de ações. Na primeira abordagem foi aplicado um questionário com os gestores e funcionários, baseado nas Portarias de Nº355/10 de marco de 2014 e N¡ 549/1¡ de abril de 2013, apresentando escores que avaliaram os itens em: nenhum problema (0), problemas que necessitem de intervenção em médio prazo (5) e sérios problemas e necessidade de intervenção imediata (10). Em seguida, foi construída a arvore de problemas como instrumento para análise dos problemas existentes e dos atores sociais envolvidos. Na área de recursos tecnológicos foi identificado um nó crítico relacionado á falta de manutenção preventiva e corretiva dos equipamentos na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Na provisão de ações, os discentes elaboraram e distribuíram um folder informativo sobre a importância da manutenção preventiva e corretiva de equipamentos e materiais em uso, assim como, em reserva operacional no serviço, além de um cronograma como estratégia para acompanhamento das manutenções como rotina na UTI, direcionado aos atores que podiam alterar o cenário atual. IMPACTOS: A necessidade de criar estratégias de gestão e planejamento que possibilite, aos profissionais do setor, a assistência segura e responsável que irá interferir na evolução clínica do paciente garantindo melhor assistência á comunidade, reduzindo a interdição dos leitos por equipamento quebrados, potencializando os resultados no cuidado á saúde a fim de alcançarmos a integralidade. Acredita-se que conscientização da equipe e da gestão frente a essa problemática trouxe benefícios tanto ao serviço quanto aos usuários, garantindo uma melhor assistência. CONSIDERAÇÕES FINAIS: O projeto aplicativo ampliou a visão dos discentes de como a gestão hospitalar é complexo e desafiador, traçar metas em busca de soluções viáveis minimiza os processos de trabalho e reduz gastos públicos, garantindo uma assistência segura, eficaz e com qualidade para os usuários e para equipe multidisciplinar.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.