ESTÁGIO EM SAÚDE COLETIVA - EXPERIÊNCIA NA COMUNIDADE DE PRÁTICAS DO MINISTÉRIO DA SAÚDE

Laura da Rosa Vidal, Natália Estela Dendena, Graziela Valle Nicolodi, Themis Goretti Moreira Leal de Carvalho

Resumo


INTRODUÇÃO: Sendo a Comunidade de Práticas (https://novo.atencaobasica.org.br/) um espaço virtual de construção de conhecimento e aprendizado a partir das experiências de cada profissional da Atenção Básica, buscou-se utilizar dessa ferramenta para complementar e diferenciar as atividades no estágio curricular em Saúde Coletiva. A fisioterapia vem conquistando seu espaço nos últimos anos por ter um papel importante na qualidade de vida das pessoas, porém ainda existe a necessidade de ampliar a efetividade das ações em saúde coletiva e favorecer a participação do usuário, atuando em todos os níveis de atenção. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: Este é um relato de experiência sobre o Estágio em Saúde Coletiva, desenvolvido no curso de Fisioterapia da UNICRUZ, pelos acadêmicos do 8º semestre, no período de julho a dezembro de 2016. As atividades foram desenvolvidas na ESF Toríbio Veríssimo localizada na cidade de Cruz Alta/RS. A turma foi dividida em duplas e cada uma ficou responsável por três pacientes. Agentes comunitários de saúde acompanharam os acadêmicos nos domicílios, local onde foi realizada a avaliação inicial e os atendimentos semanais. Foi criado na Comunidades de Práticas (Ministério da Saúde) a comunidade intitulada Fisioterapia da UNICRUZ na ESF Toríbio Veríssimo/Cruz Alta - RS - Práticas em Saúde Coletiva, local onde foram compartilhados todos os encontros, bem como todas as avaliações e evoluções ocorridas. A aposta neste espaço virtual se deu pela necessidade de superar as barreiras da prática curricular distante e isolada, utilizando as ferramentas da Web 2.0 para potencializar todas as ações construídas no cotidiano da atenção básica pelos acadêmicos da fisioterapia e equipe de profissionais da ESF Toríbio Veríssimo. IMPACTOS: A partir do compartilhamento das experiências, discussões dos casos, evoluções do quadro clínico, entre outros relatos, foi construído um espaço no qual gestores, trabalhadores da saúde e acadêmicos puderam se encontrar, compartilhar experiências e constituir uma rede colaborativa voltada para a melhoria da qualidade da atenção á saúde prestada á população da ESF Toríbio Veríssimo. Para os acadêmicos que vivenciaram esta experiência foi um fator de emponderamento, indispensável para formação de um profissional competente e comprometido com a saúde da comunidade. CONSIDERAÇÕES FINAIS: A Comunidade de Práticas é um espaço vivo, dinâmico, com efetivo valor de uso para o SUS. O uso dela para relatar as atividades de estágio em Saúde Coletiva proporciona inúmeros benefícios tanto para os acadêmicos que realizam o estágio como para todos os profissionais envolvidos. Foi uma experiência construtiva e gratificante para o desenvolvimento e a capacitação dos acadêmicos de fisioterapia. As atividades desenvolvidas durante o semestre ampliaram e fortaleceram o conhecimento tornando-os mais responsáveis e éticos, permitindo colocar em prática a teoria que foi passada em sala de aula, contribuindo com a melhora e prevenção na saúde dos pacientes atendidos.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.