FATORES RELATIVOS À VIDA ACADÊMICA E À PRÁTICA DE EXERCÍCIOS FÍSICOS EM UNIVERSITÁRIOS: REVISÃO SISTEMÁTICA.

Ana Carolina Carolina Dorigoni Bini, Tatiane Budniak Mazur, Ketllin Ketllin Bragnholo, Gustavo Athayde Stockler, Débora Kauane Nascimento, Anara de Oliveira Camilo

Resumo


Introdução: É categoricamente aceito que a prática regular de exercícios físicos pode, em qualquer idade, alterar vários aspectos de relevância na saúde do indivíduo. Durante a vida acadêmica, os fatores que podem levar à prática de exercícios são diferenciados, levando em consideração as perspectivas sociais e culturais que prevalecem. Desenvolvimento: O estudo se trata de uma revisão sistemática, utilizando artigos coletados nas bases de dados: Scielo, ScienceDirect e PubMed, utilizando os descritores: atividade física, universitários e sedentarismo, sendo estes pesquisados nos idiomas Português e Inglês. Como critérios de inclusão utilizamos: pesquisas publicadas entre os anos de 2010 e 2018, artigos originais, realizados entre universitários de todos os cursos e de ambos os sexos. Considerações finais: A transição da adolescência para a vida adulta, mudança de cidade, período de adaptação ao curso, mudança de perspectiva sobre a prática de exercícios físicos e o comodismo, são influenciadores diretos na vida do jovem adulto que acaba de entrar na universidade, diante desta realidade, é de suma importância o incentivo a prática de exercícios físicos, visto que a mesma causa tantos benefícios ao corpo, à saúde e qualidade de vida em geral.


Palavras-chave


Atividade física. Universitários. Sedentarismo

Texto completo:

PDF

Referências


Oliveira NRC, Padovani RdaC. Saúde do estudante universitário: uma questão para reflexão, Cien & Saude Col. 2012; 19 (3): 995-996.

Lapa TY. Physical Activity Levels and Physicological Well-Being: A Case Study of University Students, Int J of Prev Med 2015; 4 (3): 293-310.

Pinheiro BO, Andrade ALM, Micheli D. Relação entre os níveis de atividade física e qualidade de vida no uso de drogas em adolescentes. Rev Elet Saúde Mental Álcool e Drogas 2016; 12 (3):178-187.

Guedes DP, Legnani RFS, Legnani E. Exercise motives in a sample of Brazilian university students. Rev Motriz 2013; 19(3): 590-596.

Legnani RFS, Guedes DP, Legnani E, Filho VCB, Campos, Wde. Fatores motivacionais associados à prática de exercício físico em estudantes universitários. Rev. Bras. Ciênc. Esporte 2011; 33(3): 761-772.

Noce F, Castro HdeO, Ferreira TS, Guo J, Andrade AGPde, Costa, VTda. A 6-month comparison of quality of life and mood states between physically active and sedentary college students. Rev da Fac de Med de Ribeirão Preto e do Hosp das Clínicas da FMRP 2016; 49(1): 9-16.

Guedes DP, Legnani RFS, Legnani E. Motivos para a pática de exercício físico em universitários e fatores associados. Rev Bras de Ativ Fís e Saúde 2012; 17(4): 270-274.

Wilson O, Vairo N, Bopp MJ, Sims D, Dutt K, Pinkos B. Melhores práticas para promover o ciclismo entre estudantes universitários e funcionários. J of Transp and Health 2018; 9:234-243.

Costa BDV, Batista GR, Leão NES, Paes PP. Quality of life, stages of behavioral changes and physical activity level of Physical Education students. Rev Bras de Ativ Fis e Saúde 2015; 20(5): 476-482.

Diehl K, Hilger J. Physical activity and the transition from school to university: A cross-sectional survey among university students in Germany. Sci & Spo 2016; 31(4): 223- 226.

Cieslak F, Cavazza GF, Lazarotto L, Titski ACK, Stefanello JMF, Leite N. Análise da qualidade de vida e do nível de atividade física em universitários. Rev da Edu Fis/UEM 2012; 23 (2):251-260.

McFadden T, Fortier MS, Guérin E. Investigating the effects of Physical Activity Counselling on depressive symptoms and physical activity in female undergraduate students with depression: A multiple baseline singlesubject design. Ment Health and Phys Activ 2017; 12: 25-36.




DOI: https://doi.org/10.18310/2358-8306.v5n9.p62

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.