RELATO DE EXPERIÊNCIA DA LIGA DE FISIOTERAPIA ESPORTIVA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ: UM PARADIGMA AMAZÔNICO

Roger Andrey Carvalho JARDIM, Darlyenne Paes e SILVA, José Ribeiro da SILVA NETO, Juliano Giorgio Rosa LUCCAS, Isabelle Amaral BARROSO, Nívea Renata Oliveira MONTEIRO, Renan Lima MONTEIRO, Cleuton Braga LANDRE, Areolino Pena MATOS

Resumo


Introdução: As ligas acadêmicas são associações formadas e geridas por estudantes, nas quais se buscam promover o conhecimento em áreas específicas dentro da graduação por meio do incentivo ao estudo de assuntos específicos relacionados à graduação, sendo parte importante. Objetivo: apresentar as experiências vivenciadas pelos acadêmicos que fazem parte da Liga de Fisioterapia Esportiva da UNIFAP (LIFE). Metodologia: A LIFE iniciou suas atividades em Julho de 2016 e conta atualmente com 6 acadêmicos e 4 professores do curso de fisioterapia, com um total de 26 pacientes atendidos da própria universidade (52%) e comunidade externa (48%). Os pacientes são coletados por demanda espontânea, podendo ser atletas amadores ou profissionais os quais são organizados em uma lista de espera e selecionados para atendimento conforme relevância clínica do caso. Para os atendimentos, é utilizado toda a estrutura e materiais disponíveis na universidade, que conta com esteiras, aparelhos de musculação, dinamômetro isocinético, laser infravermelho, ultrassom, equipamentos de eletroestimulação, dentre outros recursos. Resultados: Dentro do contexto amazônico os principais obstáculos encontrados pela Liga estão na carência de atletas profissionais, afetando diretamente a experiência de reabilitação de atletas de alto rendimento; a alta disseminação do conhecimento empírico para recuperação de lesões nessa população, o que os faz hesitar e frequentemente abandonar as práticas com comprovação científica; a escassez de profissionais capacitados na área para acompanhar e orientar tais atletas. Como estratégia para contornar as dificuldades, a liga apoia-se na tríade que caracteriza as universidades brasileiras: pesquisa, ensino e extensão. Por meio de reuniões semanais, sobre temas preestabelecidos em fisioterapia esportiva, projetos de iniciação científica dentro da liga e atendimento aos atletas lesionados. Além disso, são promovidas sessões científicas mensais abertas à comunidade, momento em que diversas realidades da fisioterapia esportiva são discutidas. Conclusão: a liga oferece experiências que ultrapassam o processo educacional restrito às salas de aula, tornando os alunos mais atores e menos expectadores do processo ensino-aprendizagem.

Palavras-chave


Educação Superior; Traumatismos em Atletas; Volta ao Esporte.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.