PROMOÇÃO DE SAÚDE PARA MULHERES ENVOLVIDAS NA PROSTITUIÇÃO

Érica de Moraes Santos Corrêa, Maria Lua Marques de Mendonça, André Luis Grégio Bezerra, Laís Alves de Souza Bonilha

Resumo


INTRODUÇÃO: Há atualmente a proposta na formação de profissionais da saúde de garantir a coerência e a indissociabilidade entre a teoria e prática. Deste modo, as universidades inserem os discentes precocemente nos cenários de prática, com intuito de aproximá-los de seu campo de prática profissional. A introdução necessária para a atuação na saúde pública é a conceituação positiva de saúde, que apesar de configurar avanço inquestionável, traz como desafio a complexidade de lidar com algo tão amplo como a própria noção de vida. E promover a vida em suas múltiplas dimensões envolve estimular a autonomia de sujeitos singulares, cabendo aos profissionais e futuros profissionais da saúde o papel de suscitar nos indivíduos a consciência de que saúde e estilo de vida são diretamente ligados à qualidade de vida, e nisso a atividade física assume papel primordial. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: Ações de educação em saúde foram propostas como atividade prática das disciplinas Saúde e Cidadania e Processo Saúde e Doença, no primeiro semestre do curso de fisioterapia da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Foram realizadas ações para um grupo de mulheres envolvidas na prostituição, iniciando-se com um piquenique no Parque das Nações Indígenas, onde foi aferida a pressão arterial, realizados alongamentos e discutidas as vantagens da prática diária de atividades físicas. Como estratégia foi proposta uma roda de conversa, direcionada pelos acadêmicos e supervisionada pela docente responsável, onde se pôde observar grande participação das integrantes do grupo, com descrições de suas atividades físicas diárias ou sobre a ausência delas. IMPACTOS: A ação foi satisfatória, ao despertar nas participantes a percepção de que a atividade física pode ser agradável e prazerosa, ainda mais se realizada em grupo. Resultou também em melhor noção corporal e o entendimento de que praticas físicas saudáveis podem ser incorporadas nas atividades diárias. CONSIDERAÇÕES FINAIS: O envolvimento dos acadêmicos é de suma importância nas ações de promoção à saúde em diversas comunidades e grupos específicos, favorecendo o desenvolvimento da visão ampliada da integralidade do cuidado, através das experiências sequenciais que somam saberes e a percepção de novos desafios.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.