CONVERGÊNCIA DA PRÁTICA INVESTIGATIVA E A PROMOÇÃO DE SAÚDE EM PREVENÇÃO DE QUEDAS EM UM GRUPO DE CONVIVÊNCIA DE IDOSAS DO PROJETO DE EXTENSÃO CONVIVER PARA RE-VIVER PUCMINAS

Edirlene de Melo Nogueira, Isadora Laborie Ferreira Martins, Isadora Rodrigues, Maelly Gil Pereira, Sabrina Miranda Baptista, Patrícia Dayrell Neiva, Vania Figueiredo, Viviane Almeida

Resumo


Introdução: No processo do envelhecimento ocorrem alterações nos sistemas corporais ocasionando alterações cognitivas, na coordenação motora e de concentração que podem ser potencializadas dependendo do estilo de vida da pessoa idosa. O equilíbrio é um fator que deve ser avaliado, envolvendo a recepção e a integração de estímulos sensoriais, o planejamento e a execução de movimentos para controlar o centro de gravidade sobre a base de suporte, sendo realizado pelo sistema de controle postural que integra informações do sistema vestibular, dos receptores visuais e do sistema sensório-motor. Usualmente o equilíbrio da pessoa idosa encontra-se diminuído devido às alterações que ocorrem nos seus sistemas, facilitando a ocorrência de instabilidades e quedas. Devido ao alto risco de queda presente no cotidiano é importante a aplicação de instrumentos para avaliar o equilíbrio e identificar a propensão a quedas, a necessidade da atuação do fisioterapeuta e de uma equipe multidisciplinar focada na promoção da saúde em prevenção de quedas e suas complicações. Objetivo: Avaliar o equilíbrio de idosas do Grupo de Convivência Esperança de Vida para identificar o risco de quedas e encaminhá-las para uma avaliação focada no seu Centro de Saúde de referência. Metodologia: Uma prática investigativa foi proposta aos alunos do curso de Fisioterapia da PUCMinas na Disciplina Fisioterapia em Geriatria. Participaram 15 idosas do Grupo de Convivência Esperança de Vida, parceiras no Projeto de Extensão Conviver para Re-viver. A avaliação do equilíbrio foi realizada através da aplicação dos testes: Semi-Tandem, o Step test, Passar de Sentado Para de Pé e Velocidade da Marcha. Resultados: Dentre as 15 idosas avaliadas no Semi-Tandem apenas duas (13,33%) foram incapazes de realizá-lo, diante desse resultado é possível afirmar que o sistema somatosensorial das demais idosas encontra-se íntegro. No Step Test 11 idosas (73,33%) apresentaram-se incapazes de realizar o teste no tempo estabelecido, sugerindo a maior propensão a quedas, provavelmente pela fraqueza de membros inferiores e menor tempo de reação motora. No teste Passar de Sentado Para de Pé 14 idosas (93,33%) foram incapazes de realizar o teste no tempo previsto. No teste de Velocidade de Marcha oito idosas (53,33%) foram classificadas como funcionais; três (20%) em estado de alerta e quatro em perigo (28,57%), pois geralmente os idosos que apresentam menor velocidade de marcha possuem alta incidência de quedas, entre outros eventos. Conclusão: Com os resultados dos testes verificou-se a necessidade do encaminhamento de oito idosas para uma avaliação específica com objetivo de identificar as possíveis causas do baixo desempenho nos testes de equilíbrio e direcionar para a melhor intervenção visando à prevenção de quedas. Esta atividade propiciou a articulação da teoria e prática na construção do conhecimento. Em todas as fases do processo investigativo foi observada a relação com a prática assistencial para solucionar ou minimizar problemas, realizar mudanças e introduzir inovações.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.