ESTADO DE SAÚDE E RISCO DE MORTALIDADE EM USUÁRIOS COM DPOC EM UMA CLÍNICA-ESCOLA DE FISIOTERAPIA EM NATAL/RN

Ana Flávia Câmara Figueiredo, Ricilia Cirene Silva de Medeiros Cruz, Yhohhanes Ítalo Gonçalves, Luanna Kaddyja Medeiros Azevedo, Kênia Fernanda Santos Medeiros, Mirela Silva dos Anjos, Fábio Henrique Medeiros Bezerra, Catharinne Angélica Carvalho de Farias

Resumo


Introdução: A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) representa um importante problema de saúde pública, sendo a terceira causa de morte no mundo. O crescimento de casos da DPOC pode estar associado a fatores como o aumento da poluição atmosférica, fatores de risco, e envelhecimento da população. É definida como uma doença comum, previnível e tratável, caracterizada por sintomas pulmonares e sistêmicos. Apresentando-se como uma doença que possui períodos e fases de exacerbações, sendo a mais importante e comum causa de admissão hospitalar de emergência, tendo um risco muito elevado de mortalidade, onde 50% das pessoas com exacerbação graves vão a óbito após internação. Objetivo: Analisar estado de saúde e risco de mortalidade em usuários com DPOC em uma clínica-escola de Fisioterapia. Metodologia: Estudo observacional, descritivo e quantitativo, sendo a população composta por pacientes que eram atendidos pelo serviço de Fisioterapia do Centro Universitário do Rio Grande do Norte, com diagnóstico clínico de DPOC. Foram incluídos no estudo os pacientes que estavam em acompanhamento clínico com pneumologista e foram excluídos aqueles que não aceitaram participar do estudo de forma voluntária. Os instrumentos utilizados foram o questionário de COPD Assessment Test (CAT) para analisar o estado de saúde, escala de dispneia do mMRC, balança com estadiômetro para verificar o IMC, teste de caminhada de 6 minutos para avaliar a capacidade de exercício, índice de mortalidade de BODE. A prova de função pulmonar foi considerada a trazida pelos voluntários. Resultados: Participaram deste estudo 13 voluntários, onde 7 (53,8%) eram do gênero masculino, todos os 13 (100,0%) participantes encontravam-se com IMC maior que 21, 6 (46,2%) apresentavam estado de saúde com comprometimento leve, 12 (92,3%) relatava dispneia maior que 2 pontos e 6 (46,2%) encontravam-se no quartil I do índice do BODE. Conclusão: Com este estudo podemos observar que os pacientes avaliados na Clínica-escola apresentavam um comprometimento leve do estado de saúde em relação à doença e apresentam um baixo risco de mortalidade de acordo as escalas utilizadas.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.