ABORDAGEM FISIOTERAPÊUTICA NA QUALIDADE DE VIDA DO PACIENTE COM INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA

Fabio Correia Lima Nepomuceno, José Adelson De Araújo, Rachel Cavalcanti Fonseca Pereira, Ivaldo Menezes De Melo Junior, Márcia De Oliveira Delgado

Resumo


INTRODUÇÃO: A insuficiência renal crônica é caracterizada pela rápida redução da função renal. A maneira como cada paciente vive e lida com a insuficiência renal crônica é de caráter único e pessoal. O enfrentamento da doença é influenciado pelas percepções da qualidade de vida de cada indivíduo. OBJETIVOS: Este estudo teve como objetivo analisar os benefícios da fisioterapia na qualidade de vida dos pacientes com insuficiência renal no serviço de hemodiálise. METODOLOGIA: Trata-se de uma pesquisa exploratória e descritiva, de caráter investigativo com uma abordagem qualitativa. A clientela alvo foi formada por portadores de insuficiência renal crônica do Serviço de Nefrologia Mário Fiuza (NEFRUZA), que apresentaram comprometimentos motores e/ou respiratórios e que necessitavam de alguma intervenção fisioterapêutica, encontrando-se em fase avançada da doença. Após assinatura do Termo de Consentimento Livre Esclarecido, foi dado inicio a aplicação do questionário e entrevista que tinha em média 50 minutos de duração. O grupo estudado foi composto por 35 pacientes com diagnóstico de Insuficiência Renal Crônica de ambos os sexos e que se encontravam em tratamento por hemodiálise por mais de um ano. Os participantes tinham uma idade mínima de 19 anos e a máxima de 87 anos. Para interpretação dos dados qualitativos foram utilizadas as análises dos conteúdos pelo método Bardin e Léxica. RESULTADOS: A análise dos dados foi feita através de uma analise qualitativa de conteúdo com descrição das variáveis pesquisadas, a partir das respostas apresentadas pelos pacientes na entrevista sobre a qualidade de vida e a fisioterapia na hemodiálise. O estudo mostrou que a maioria dos pacientes sofre com o tratamento o que interfere em suas relações interpessoais impactando diretamente na qualidade de vida. Quando submetidos à fisioterapia os mesmos desfrutam de uma sensação de melhora e bem estar, promovendo uma melhora em sua qualidade de vida. CONCLUSÃO: Conclui-se que a fisioterapia influencia de forma positiva na melhora da qualidade de vida destes indivíduos.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.