SONOLÊNCIA DIURNA EM ESTUDANTES DE UM CURSO NOTURNO E DIURNO DE FISIOTERAPIA EM NATAL/RN

Janiérica Lázaro da Silva, Felipe Augusto Barbalho Teixeira de Azevedo, Valéria Balbino da Costa, Heitor Antônio da Silva Marcolino, David Edson de Assis Silva, Pedro Henrique Silva de Brito, Catharinne Angélica Carvalho de Farias

Resumo


Introdução: Estudantes universitários estão especialmente sujeitos as modificações no estilo de vida e no padrão do ciclo sono vigília. Muitos estudantes estão deixando pela primeira vez a casa da família e, além das modificações naturais em função da puberdade, são inseridos em um novo ambiente em função de suas aulas e atividades curriculares. Objetivo: Analisar o padrão de sono de estudantes universitários que frequentam os turnos diurno e noturno em duas faculdades privadas da cidade de Natal/RN. Metodologia: Estudo do tipo transversal e observacional, realizado em duas instituições de ensino superior privadas de Natal/RN. A população foi de estudantes do curso de Fisioterapia, sendo a mostra por conveniência. Os dados foram coletados através de um formulário que coletou informações referentes identificação, atividades laborais que exercem, hábitos de vida, e rotina em relação aos horários de descanso e lazer. A sonolência diurna foi avaliada através da Escala de Sonolência de Epworth. A análise dos dados foi realizada através da estatística descritiva (média e desvio-padrão) e números absolutos com seus respectivos percentuais da amostra total. Para analisar a normalidade dos dados foi utilizado o teste de Kolmogorov-Smirnov, teste t não paramétrico, teste t de Student e o teste do Qui Quadrado. Resultados: Participaram do estudo 92 estudantes, sendo 64 (69,9%) do gênero feminino, idade média de 23,1(±4,5) anos. De acordo com o perfil da amostra foi constatado que 24 (52%) dos estudantes do turno diurno e 22 (47,8%) dos estudantes do turno noturno sofriam com sonolência diurna excessiva. Conclusão: Participaram do estudo 92 estudantes, sendo 64 (69,9%) do gênero feminino, idade média de 23,1(±4,5) anos. De acordo com o perfil da amostra foi constatado que 24 (52%) dos estudantes do turno diurno e 22 (47,8%) dos estudantes do turno noturno sofriam com sonolência diurna excessiva.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.