ALUNOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA DE UMA UNIVERSIDADE ESTADUAL DEMONSTRAM SIGNIFICATIVO AUMENTO DO CONHECIMENTO SOBRE AS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES DO FISIOTERAPEUTA APÓS UM ANO DE CURSO

Maria Jasmine Gomes da Silva, Maria Beatriz Duarte, Vanessa Santos Balbino, Glícia do Nascimento da Silva Oliveira, Luciana Costa Melo

Resumo


Introdução: As Diretrizes Curriculares Nacionais - DCN's para o ensino e educação em Fisioterapia preconizam que o Fisioterapeuta deve ser habilitado para exercer a profissão de modo generalista, humanista e apto para atuar nos três níveis de atenção, tendo essas competências obrigatoriamente incluídas e instruídas dentro das disciplinas da matriz curricular do curso. Objetivo: Verificar a contribuição de atividades proporcionadas pelo primeiro ano do curso de fisioterapia de uma universidade estadual para o conhecimento dos alunos quanto a atuação do fisioterapeuta com base nas DCN's. Metodologia: Estudo retrospectivo, comparativo, realizado a partir do banco de dados da disciplina Processos de Trabalho em Fisioterapia I, a qual é anual e ofertada nos dois primeiros semestres do curso de fisioterapia. No primeiro e último dia da disciplina os alunos respondem um questionário semiestruturado contendo as perguntas: 1. Por que você escolheu cursar Fisioterapia?; 2. O que é Fisioterapia?; 3. Onde um Fisioterapeuta pode trabalhar?; 4. Quais recursos um Fisioterapeuta pode utilizar na prática profissional? A partir das respostas dos alunos, os dados foram tabulados segundo a análise de conteúdo de Bardin (2011), em busca de identificar as categorias emergentes acerca dos conhecimentos e habilidades preconizadas pelas DCN's. Resultados: As categorias emergentes demostram que 100% dos alunos recém-ingressos acreditam que a fisioterapia é uma profissão reabilitadora, negligenciando a atuação do fisioterapeuta no nível primário (NP) e secundário de atenção à saúde. Apenas 30% referiu que o fisioterapeuta atua no NP. Ao final da disciplina, 100% dos alunos afirmaram que tinham uma visão limitada sobre a Fisioterapia. 73,3% destacaram a atuação do fisioterapeuta nos três níveis de atenção à saúde. 90% dos alunos recém-ingressos afirmaram que os únicos campos de trabalho do fisioterapeuta são hospitais e consultórios, perpetuando a perspectiva da atenção terciária. Ao final da disciplina 30% destacaram que o Fisioterapeuta também pode atuar na Saúde Coletiva, como NASF e UBS. 66,6% dos alunos recém-ingressos atribuíram ao fisioterapeuta o emprego da mecanoterapia, ademais, 6,6% afirmaram a utilização de remédios. Ao final da disciplina 100% dos alunos destacaram que o fisioterapeuta utiliza recursos manuais, mecânicos, elétricos e térmicos. Conclusão: Os alunos demonstraram significativo aumento do conhecimento sobre a atuação do fisioterapeuta. Observa-se que a universidade, ainda no primeiro ano, contribuiu para a evolução quanto ao conhecimento da profissão e demonstra-se a importância da implantação de atividades que promovam o entendimento sobre as competências e habilidades do fisioterapeuta, visto que os alunos ingressos no curso tem visão limitada acerca da profissão escolhida.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.