AVALIAÇÃO DE ESTÁGIOS NA ÁREA DA SAÚDE: UMA PROPOSTA DE INSTRUMENTO

Leilane Marcos, Luiza Martins Faria

Resumo


Introdução: Um instrumento de avaliação do desempenho do acadêmico no estágio possibilita que o mesmo identifique seus pontos fortes e suas fragilidades possibilitando a melhora destes e o estímulo ao desenvolvimento de suas potencialidades. Além disto, tornando-se um balizador para a avaliação do professor supervisor. Para tanto deve-se considerar as competências que o acadêmico deve apresentar descritas nas Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Fisioterapia que são os norteadores do ensino e estabelecem relação com as necessidades do futuro profissional fisioterapeuta. Objetivo: Avaliar o impacto do uso de um instrumento de feedback durante o estágio supervisionado no curso de Fisioterapia. Metodologia: Realizar a avaliação do estágio com base nas competências descritas nas Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de Fisioterapia. Conforme a identificação do Professor Supervisor de estágio o acadêmico recebe um conceito na competência observada no dia em 3 cores: Verde Competência desenvolvida" , Amarelo "Desenvolvido parcialmente" e Vermelho "Não desenvolvido". Ao final do campo dos acadêmicos responderam um questionário online de percepção do uso deste instrumento" Resultados: Os dados quantitativos foram avaliados de forma descritiva (média e frequência) por meio do software Excel Office - 2010 e para os dados qualitativos realizou-se análise e síntese dos discursos. O instrumento foi aplicado com a 10º fase do curso de Fisioterapia no campo de estágio de fisioterapia respiratória no ambiente hospitalar em 15 acadêmicos que responderam ao questionário de percepção sobre o instrumento. Dos respondedores, 88% classificou muito fácil" o entendimento do que está sendo avaliado pela ficha. Sobre a A divisão em 3 níveis ( vermelho, amarelo e verde) obteve-se 90% como "muito satisfatória" satisfatória para percepção da evolução e/ou correção quanto a condutas e comportamentos no estágio. Quanto a relação da avaliação com as habilidades do fisioterapeuta, 97% responderam que ficou "muito claro". Sobre se o feedback diário auxiliou para a observação do que era necessário melhorar ao longo do estágio, 100% responderam "Ajudou MUITO a observar o que precisava melhorar".Para as questões qualitativas do instrumento, sobre as vantagens do mesmo os discursos foram: "Motivação diária e a busca por melhorar e aprimorar as técnicas" "Achei o método interessante pois avalia aspectos separadamente, podendo focar em pontos específicos, seja eles bons ou ruins. Através deste método avaliativo conseguimos notar qualidades e pontos falhos, ou que necessitam de mais desenvolvimento, trazendo então um direcionamento para o possível desenvolvimento daquela característica." , "Oportunidade de melhorar mediante o que a avaliação da professora me mostra que é necessário."Quando questionados sobre os pontos a serem melhorados no instrumento tais relatos foram encontrados: único ponto "frágil" seria o fato, das cores gerarem uma pressão, e nem todos conseguem lidar com ela tão fácil.", "Poderia retirar: emitir atestados e relatórios. Por não ter tido aplicabilidade durante o estágio." e "avaliação deve ser separada por datas, facilitando a percepção da melhora diária pois nem sempre somos avaliados diariamente em todos os itens"." Conclusão: O uso de um feedback da atuação do acadêmico possibilita o mesmo acompanhar seu desenvolvimento e torna-se um instrumento balizador para o professor quanto a evolução do mesmo.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.