A PESQUISA E SUA CONTRIBUIÇÃO NA FORMAÇÃO DO ACADÊMICO FISIOTERAPEUTA: RELATO DE EXPERIÊNCIA

Tamara Cristiane Batista, Milene Almeida Ribas, Katieli Santos de Lima, Ana Luiza Lirio Pinto Neto, Themis Goretti Moreira Leal de Carvalho

Resumo


Introdução: O curso de graduação em Fisioterapia da Universidade de Cruz Alta-UNICRUZ, oportuniza a inserção dos acadêmicos na iniciação científica desde as primeiras fases da graduação. Os docentes despertam a curiosidade dos acadêmicos aproximando-os do campo do conhecimento e preparando-os para serem os futuros pesquisadores. A inclusão do acadêmico em grupos de pesquisa associa a teoria estudada em sala de aula ao conhecimento do campo de trabalho, permitindo que a pesquisa desperte interesse para o processo de construção científica e pessoal deste aluno. Descrição: Trata-se de um relato de experiência da participação de acadêmicas do curso de Fisioterapia em um projeto de pesquisa PIBITI, intitulado: Força Máxima de Preensão Manual dos trabalhadores rurais na atividade leiteira antes e após um programa de cinesioterapia: análise através da curva força-tempo", que iniciou em março/2018 e será concluído em dezembro/2018. A participação das acadêmicas se deu na modalidade bolsistas voluntárias. Este estudo faz parte de um trabalho de um grupo de pesquisa desenvolvida pelo Núcleo de Pesquisa em Saúde Coletiva da UNICRUZ, em parceria com a Universidade do Estado de Santa Catarina-UDESC, e EMATER/ASCAR do Estado do Rio Grande do Sul. A partir de uma seleção de extensionistas rurais, 47 produtores leiteiros foram convidados a participar deste projeto envolvendo 12 municípios da região do Alto Jacuí/RS. Os mesmos realizaram diversos exames relacionados a saúde postural e exames laboratoriais, destacando o exame de força de preensão manual com o uso de um dinamômetro digital (NB-900) desenvolvido pelo Laboratório de Instrumentação da UDESC." Impactos: A experiência da iniciação científica é um grande momento de aprendizado, onde o conhecimento científico, proporciona conteúdos e perspectivas que talvez não seriam abordadas em outros espaços da universidade ou de sua vida cotidiana.Este contato com a pesquisa proporciona ao acadêmico, por meio da prática vivenciada, questionar-se, dialogar sobre os dados coletados, assim despertando sua curiosidade, seu lado político, oportunizando a tomada de decisões, desenvolvendo maior raciocínio, e contribuindo assim para a sua formação profissional. É possível observarmos que aquele acadêmico que se envolve com a pesquisa, não se limitando somente a graduação, devido ao trabalho realizado neste âmbito, acaba por se diferenciar dos demais profissionais. Participação esta que exige dedicação, disciplina, planejamento e comprometimento. Considerações: A inserção da pesquisa científica no cotidiano acadêmico incentiva a formação de profissionais diferenciados, que buscam compreender as necessidades da realidade, para assim buscar intervir na modificação de parâmetros, paradigmas e melhorar a qualidade de vida destes trabalhadores rurais. Sendo assim, integrar um grupo de pesquisa durante a graduação como bolsistas voluntárias PIBITI, oportunizou as acadêmicas uma experiência impar, agregando conhecimento técnico científico, visualizando o universo da pesquisa, contribuindo no sentido de tornar os acadêmicos capazes de buscar conhecimentos e saber como utilizá-los.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.