CINOTERAPIA NA MELHORA DA QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS DO ASILO SANTO ANTÔNIO: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

Ana Luíza Lírio Pinto Neto, Tamara Cristiane Batista, Naiara Marques da Silva, Carine Nascimentothemis Goretti Moreira Leal de Carvalho, Vaneza Cauduro Peranzon, Lia Dias da Costa, Dinara Hansen

Resumo


Introdução: A Cinoterapia é um método de terapia, composto por uma equipe multidisciplinar, que visa a reeducação global de pessoas com necessidades especiais e idosos, melhora a autoestima, autocontrole e propicia o estreitamento ou a realização de relações sociais à medida que facilita o contato físico e verbal. Em prol disso o cachorro se torna co-terapeuta, sendo utilizado como ferramenta de estimulação essencial para os órgãos sensoriais como visão, audição, olfato, tato, sentido sinestésico e sistema límbico. Descrição: Trata-se de um projeto de pesquisa e extensão, que busca oferecer aos acadêmicos da Unicruz uma formação diferenciada, no qual podem voluntariar-se e ir todas as terças-feiras no Asilo Santo Antônio, atender os idosos que estão a disposição do projeto. A terapia é feita com um Labrador, que foi treinado com um manejo diferencial para a prática e por isso é capaz de auxiliar no trabalho da fala, equilíbrio, expressão de sentimentos e motivação dos idosos. O idoso realiza atividades de acordo com as necessidades apresentadas juntamente com o terapeuta Impactos: Proporciona aos acadêmicos das áreas da saúde e educação uma formação diferenciada através de atividades práticas em cinoterapia, pois fornece tratamentos de saúde e psicopedagógicos baseados em atividades terapêuticas, buscando uma maior socialização dos idosos e considerável melhora na qualidade de vida. Considerações: A cinoterapia com sua forma singular desperta no idoso uma sensação de tranquilidade, segurança, afeto e alegria, fazendo assim com que exista uma melhora na qualidade de vida e uma maior socialização. Poder ver essas mudanças ocorrendo, além de facilitar a relação terapêutica, acarreta em novas aprendizagens, faz o acadêmico sentir que é capaz de fazer a diferença na vida de uma pessoa, o que incentiva mais ainda o gosto pela profissão e faz-se perceber o leque de tratamentos e áreas de atuação.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.