INSERÇÃO DAS PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES NO AMBIENTE ESCOLAR: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

Állison Igor Santos de Assis, Amanda Raquel Nascimento Oliveira, Anna Laura Maciel de Melo, Danielle Ferreira de Santana Silva, Thyalli Ferreira de Souza Nascimento, Zhilda da Mota Nunes, Risomar da Silva Vieira

Resumo


Introdução: As Práticas Integrativas e Complementares (PIC's), garantidas pela portaria do Ministério da Saúde, nº 971 de 03 de maio de 2006, consistem em uma gama de recursos terapêuticos que possuem uma visão ampliada do processo saúde-doença e buscam proporcionar o completo bem-estar ao indivíduo, assim como integrá-lo no meio ambiente e na sociedade. Ainda, o uso das PIC's pelo profissional fisioterapeuta está regulamentado através da Resolução COFFITO nº 380, de 3 de novembro de 2010. Descrição: Baseada na proposta de inserir os acadêmicos de fisioterapia no contexto da Atenção Básica, o projeto de extensão As Práticas Integrativas e Complementares: Racionalidades do Cuidado em Saúde" realizou encontros semanais na Escola Municipal Radegundes Feitosa Nunes (João Pessoa - PB) entre os meses de março e junho do ano de 2018. Foram realizadas atividades com as turmas dos 3º, 4º e 5º com intuito de trabalhar a socialização, cognição, motricidade, equilíbrio, propriocepção e relaxamento sendo associadas algumas práticas integrativas como: massoterapia, musicoterapia, danças circulares, aromaterapia usando o óleo essencial da lavanda e a meditação. Como dinâmica para o desenvolvimento das tarefas, inicialmente ocorria a apresentação dos acadêmicos e alunos da escola, onde era dito nome, um hobby e o que estava sentindo naquele momento. Em seguida explicava-se as atividades que seriam feitas onde sempre era enfatizado o respeito e a concentração. Ao final, cada aluno referia qual sentimento estava predominante depois de participar dos exercícios propostos. Em todos os encontros as professoras das respectivas salas participavam dos momentos de reflexão que aconteciam ao final das vivências, relatando a realidade do território, da sala de aula e fazendo um feedback após a intervenção do projeto de extensão." Impactos: Com o funcionamento do projeto no ambiente escolar foi perceptível a curiosidade frente as terapias utilizadas, boa aceitação das práticas realizadas, acolhimento e criação de vínculos com a equipe que compõe a escola, conhecimento da realidade dos alunos os quais, a maioria, possuem problemas familiares e sociais, além da melhora no comportamento dos discentes que participaram das atividades. Considerações: Diante a vivência percebe-se a contribuição positiva da utilização das PIC's no ambiente escolar, visto que as mesmas atuaram tanto no aspecto físico quanto no sistema límbico provocando melhoras significativas nos comportamentos dos alunos. Além disso, proporcionou aos acadêmicos a integração de saberes referentes as práticas integrativas e suas possibilidades de uso, como também colaborou para a construção do perfil enquanto futuros profissionais da saúde indo ao encontro dos princípios do SUS.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.