PROJETO DE EXTENSÃO COMVIVER

Mariza Aparecida Alves, Giselle Carvalho Maia, Cínthia Kelly Campos de Oliveira Sabadini, Mary Lee dos Santos, Jorge Costa Neto, Cristian de Souza Freitas, Ivanise Caroline Silva dos Santos

Resumo


Introdução: As doenças crônico-degenerativas relacionam-se com as condições de vida e trabalho da população, gerando tensões psicossociais e deterioração orgânico-funcional, em especial, dos sistemas nervoso, endócrino e cardiovascular. Diante da incidência de casos dessas doenças e o desenvolvimento de novos tratamentos, várias ações no âmbito da saúde pública têm sido realizadas em busca da melhor qualidade de vida desses indivíduos. Com o intuito de integrar ensino-pesquisa-extensão às demandas da sociedade, foi criado em 2004 o Projeto ComViver, pelo Curso de Fisioterapia do Centro Universitário do Leste de Minas Gerais-Unileste. O projeto tem como objetivo oferecer abordagem fisioterapêutica aos indivíduos com diagnóstico clínico de diabetes mellitus e hipertensão arterial, ou que apresentem predisposição ao desenvolvimento dessas doenças, por meio do programa de exercício físico com orientação segura, de forma gratuita, realizando uma ação de promoção a saúde, aproximando os alunos à comunidade. Descrição: Os alunos do projeto foram selecionados mediante edital anual promovido pelo Unileste, sendo divididos em equipes, e responsáveis pela elaboração e organização das atividades, sob supervisão docente. O projeto oferece atividades preventivas e de intervenção, em dois dias na semana, com duração de uma hora. Os pacientes cadastrados na Clínica Escola foram convidados a participar por meio de contato telefônico. No primeiro semestre de 2018 foram avaliados 20 pacientes com participação de 15 alunos matriculados a partir do sexto período. Como atividades foram realizadas circuito de propriocepção, coordenação motora, equilíbrio, fortalecimento, condicionamento físico, dinâmicas lúdicas e palestras educativas. Em paralelo ao projeto, os alunos do sétimo período desenvolveram como proposta do Projeto Integrador (PI), a avaliação fisioterapêutica dos participantes, integrando as disciplinas cursadas no semestre. Foram realizadas visitas periódicas com o intuito de conhecer as atividades desenvolvidas e o perfil do público atendido, além de aplicar um instrumento de avaliação funcional (Teste de caminhada de seis minutos, Teste de equilíbrio de Berg, Teste de sentar e levantar, Teste de sensibilidade e Diário miccional). Após aplicação dos instrumentos, os alunos correlacionaram os dados obtidos com os encontrados na literatura, e apresentaram a comunidade acadêmica na Semana do PI, em junho de 2018. Impactos: O projeto permitiu aos alunos vivenciar na prática os conhecimentos teóricos adquiridos em sala de aula. Além disso, instigou a produção de pesquisa por meio da prática acadêmica, contribuindo para formação profissional e oferecendo ao público externo intervenção fisioterapêutica. A associação entre projeto ComViver e PI propiciou aos alunos o aprofundamento em um tema específico da fisioterapia, aprimorando a capacidade de interpretação e análise crítica, desenvolvimento de habilidades para o trabalho em equipe, discussão de ideias em público, levantamento bibliográfico e incentivo à pesquisa e extensão. Considerações: O projeto ComViver propicia a integração do ensino, pesquisa e extensão com as demandas da sociedade, além de permitir ao aluno sua efetiva interação com a comunidade, seja para se situar historicamente, politicamente, culturalmente ou para referenciar sua formação, tendo a oportunidade de exercer na prática o conteúdo teórico adquirido ao longo do curso.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.