TRABALHO INTERDISCIPLINAR BEM ESTAR DO CUIDADOR E DA CRIANÇA

Anna Karoline Lopes Rocha, Fernanda Carvalho Silva Vieira, Isabela Tereza Paixão Amarante, Jéssica de Moura Guerra, Laura Barroso Costa, Lorena Luiza Ribeiro Dias, Raphaela Emília Neves Gitirana Marins, Rosa de Lourdes Lima Dias Franco

Resumo


Introdução: Ao longo do período gestacional, uma mãe prepara-se para o nascimento de seu filho, vivenciando momentos inesperados. A deficiência (física e/ou mental) é um fenômeno complexo, dinâmico e multidimensional que repercute no contexto familiar, social e político dessa criança. Sabe-se que há um número significativo de familiares com indivíduos portadores de deficiências diversas, e que os demais envolvidos adquirem a responsabilidade de prover suporte e cuidados tanto a laços consanguíneos quanto a amigos dotados de tais privações. A assistência prestada pelos familiares é voltada à patologia da criança, pois esta é vista como único problema existente, o que destina todo o foco em torno da melhora de um quadro clínico. Assim, o aspecto psicológico da família, em especial da mãe, é negligenciado, o que restringe a tal somente a função de cuidadora e de executora de ordens profissionais. Deste modo, realizou-se uma vivência de conscientização e intervenção com mães e crianças no Ambulatório de Pediatria do Centro Clínico de Fisioterapia da PUC Minas em Belo Horizonte, caracterizado pela oportunidade de promoção de bem estar e consequentemente saúde para estes indivíduos. Descrição: Esta atividade compreendeu o marco teórico das Práticas Integrativas Complementares em Saúde" (PICS) acarretando uma aproximação das alunas do estágio em Neuropediatria com as mães das crianças para um diálogo e compreensão de problemas. As mães foram convidadas a comparecerem no dia de atendimento para a intervenção. As alunas se dividiram em dois grupos, sendo um grupo composto pelas mães no qual receberam perguntas-tema com roda de conversa sobre os problemas gerado por essas perguntas e, informações a cerca de cuidados com as crianças em casa e meditação para relaxamento. Um outro grupo constituído pelas crianças recebeu pelas alunas atividades lúdicas (com desenhos, entretenimento audiovisual e brinquedos). " Impactos: A atividade com as mães e crianças gerou uma quebra das negligências relacionadas às suas necessidades, particularidades e integralidade humana, e a algumas dificuldades expressas pelas mães, gerando bem estar, o que é proporcionado pelas atividades de lazer. A comunicação entre as mães, familiares e o cuidadores com os profissionais da saúde é de suma importância e foi fundamental para ampliar o conceito de saúde, e dos fatores ambientais que cercam as crianças e as mães cuidadoras. Considerações: A atividade foi de suma relevância, pois contrapôs as atividades propostas às principais queixas abordadas pelas mães, tornando possível orientá-las e estreitarem a relação terapeutas e mães e também as interpessoais. Mostrou-se como uma grande oportunidade e como desafio para que parte do grupo tivesse a experiência de um contato direto com as diferentes condições de saúde encontradas nas crianças atendidas e as demandas estabelecidas pelas mães.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.