ANÁLISE ERGOMÔMICA DO TRABALHO: UM OLHAR ACADÊMICO

Luiza Amaral Martins, Heloisa Salamoni de Araújo, Letícia Bobato, Luana Emer, Marina Baur Ribas, Arlete Ana Motter

Resumo


Introdução: O curso de Fisioterapia da Universidade Federal do Paraná (UFPR) na disciplina de Ergonomia e Fisioterapia do Trabalho aborda sobre a atuação fisioterapêutica no contexto do trabalho e suas implicações, sejam elas físicas, cognitivas ou organizacionais. O objetivo foi conhecer, compreender, propor e agir acerca de aspectos relacionados à saúde de um servidor da Procuradoria Geral do Estado (PGE.) do Paraná e o processo de avaliação ergonômica deste nos âmbitos de promoção e prevenção no tratamento de alterações. Descrição: A atividade de um semestre de estudos envolveu reflexões teóricas e vivências de práticas por meio de visitas de campo, além da elaboração de um produto final apresentado à professora, alunos e respectivos servidores analisados. Dentro da prática na PGE., pode-se observar as atividades - trabalho real -, conhecer as tarefas exercidas pelo trabalhador - trabalho prescrito -, assim como, seu ambiente de trabalho fundindo a fundamentação teórica e aplicação de questionários. Diante disso, traçou-se diagnóstico e recomendações como sugestões para melhores condições de trabalho. Impactos: A experiência despertou um olhar crítico sobre a realidade do trabalho e conhecimento da Análise Ergonômica do Trabalho (AET) pela avaliação do servidor, integrando os aspectos observados por meio da Análise da Demanda, da Tarefa e da Atividade. Essa perspectiva permitiu a reflexão de que a formação e atuação do profissional vão além da aprendizagem dentro da sala de aula, elas exploram novos caminhos por meio de pesquisas, de oportunidades, e vivências com enfoque no contexto biopsicossocial. Considerações: Por meio dessa análise, é nítida a importância da Fisioterapia como instrumento de avaliação e intervenção tanto na prevenção, promoção quanto na reabilitação. A partir dos conhecimentos adquiridos em práticas na PGE, é surpreendente as inúmeras alterações que o ambiente de trabalho pode ocasionar na qualidade de vida e contexto social, tornando a Fisioterapia do Trabalho essencial para a preservação da saúde do trabalhador.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.