VISITA TÉCNICA NA FORMAÇÃO SUPERIOR EM SAÚDE: POTENCIAIS DE UMA PRÁTICA SEMPRE PRODUTIVA E ATUAL

José Roberto Gonçalves de Abreu, Marcus Vinnycius de Jesus, Odirley Rigoti, Juliana Martins Cassani, Lusiana Correia Gonçalves de Abreu, Tainá Ferreira Coelho Souza, Raquel Simões Ribeiro, Thaynná Geraldino dos Santos Pires

Resumo


Introdução: Este trabalho traz o relato da visita guiada dos alunos dos Cursos de Fisioterapia, Educação Física e Enfermagem da Faculdade Vale do Cricaré, São Mateus-ES, ao Museu Ciências da Vida, da Universidade Federal do Espírito Santo (MVC/UFES), no campus de Goiabeiras, Vitória-ES. Realizada no dia 22 de junho de 2018, a visita foi lideradas pelas disciplinas de Bases Morfo-funcionais do Sistemas I e Seminário Articulador de conhecimentos I - SAC I. Contou com dois professores, uma monitora e 45 acadêmicos que visitaram o museu e se beneficiaram das possibilidades de uma atividade inédita para todos(as). As visitas técnicas em saúde possibilitam "[...] o desenvolvimento de um conjunto determinado de aprendizagens e a aproximação entre teoria e prática". (BADARÓ et al., 2016, p. 3). Descrição: O MVC/UFES apresenta-se como um espaço de difusão e popularização do conhecimento científico relativo à vida e ao corpo humano. Voltado a todos os públicos, foi acessível e flexível no agendamento. Na concretização da visita, possibilitamos uma rica oportunidade aos acadêmicos da Faculdade Vale do Cricaré, na medida em que, estando distantes 220 km da capital, tornam-se oportunas viagens de estudo, atividades de campo que possibilitem/proporcionem vivências de práticas inovadoras, criativas e estimulantes aos que ingressam no campo da saúde. Nesse sentido, corroboramos com Badaró et al (2016, p. 4, ao afirmar que "[...] o processo ensino-aprendizagem pode ter sua significação ampliada por meio do encontro de novos elementos de análise, avaliação e criação". Os alunos saíram de São Mateus às 09h00, participaram da visita ente as 15h30 e 17h30. Impactos: As possibilidades de aprendizagem, ricas e diversas, justificaram o investimento. Poder visualizar técnicas de conservação de peças como a plastinação de todos os sistemas, tanto da citologia, histologia e macroanatomia, constitui uma oportunidade que será repetida com turmas posteriores. Um dos pontos não pensados, mas que foram verificados nos relatórios construídos por alunos e professores foi a possibilidade de abordagem multidisciplinar sobre um mesmo objeto. Diferentes olhares acerca de embriologia, anatomia comparada e evolução humana a partir de diferentes prismas de um mesmo objeto: o corpo humano. Considerações: A visita nos permitiu ver os potenciais de uma visita técnica já amplamente descrita na literatura, bem como em experiências anteriores na docência superior. Possibilitou ainda uma ampliação do saber, a partir da diversificação dos cenários de aprendizagem e dos sujeitos que ensinam e aprendem, na medida em que o fascínio era geral e fortalece a máxima do filósofo oriental Confúcio que afirma que "Se não sabes, aprende; se já sabes, ensina".

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.