A IMPORTÂNCIA DA EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA NA FORMAÇÃO DOS ACADÊMICOS DA SAÚDE

Litieli da Veiga, Daiana Picoloto, Ilse Maria Kunzler, Simone de Paula, Lisara Schacker

Resumo


Introdução: A importância da extensão universitária compreende em mostrar na prática sobre trabalho multidisciplinar, contribuição com a construção de vida profissional e pessoal para acadêmicos de diversas áreas. Objetivo: Esse trabalho tem o objetivo de descrever a percepção dos acadêmicos de um programa de extensão universitária no seu processo de formação. Metodologia: Trata-se de um estudo observacional descritivo, de análise qualitativa. Participaram da pesquisa os acadêmicos vinculados a um programa de extensão universitária voltado a saúde materno infantil, no primeiro semestre de 2019. O programa de extensão envolve três projetos sociais, atuando na promoção da saúde da mulher no ciclo gravídico-puerperal, do neonato e criança até 1 ano através de ações interdisciplinares de atenção à saúde, contribuindo para a melhora da qualidade de vida em uma comunidade especifica do Vale do Sinos. Estavam incluídos os participantes dos cursos de fisioterapia, enfermagem, nutrição, psicologia e medicina. Ao final do semestre, foi solicitado aos participantes a descrição da sua experiência através da participação, considerando seus sentimentos, aprendizado, aspectos positivos e fragilidades. A partir das descrições, foi realizado a análise de conteúdo, considerando a relevância e repetitividade das informações. Resultado: Participaram da pesquisa vinte e cinco alunos. A partir da análise das informações, destacam-se três categorias, a primeira relacionada ao aprendizado, junto a prática e aproximando ao mercado de trabalho. A segunda, voltada a educação interprofissional, não relatada com essa nomenclatura, mas muito lembrada pelos alunos, destacando a interação entre as áreas, com os professores e com a equipe local, como a oportunidade de aprender com o outro. A terceira categoria está relacionada ao contato com a realidade local, muitas vezes bastante diferente das vivenciadas anteriormente, o que oportuniza um aprendizado para a vida. Também surgiram relatos positivos em relação ao acolhimento dos colegas, professores e equipe, além da oportunidade de utilização de instrumentos de investigação e pesquisa, assim como da territorialização no processo de trabalho. Na análise também surgiu apontamentos relacionados as fragilidades, como a falta de organização dos prontuários físicos, as mudanças climáticas relacionadas as visitas domiciliares, a complexidade da plataforma virtual, falta de infraestrutura (tablets e Wi-fi) e a desistência de alguns acadêmicos durante o semestre. Conclusão: Os resultados do presente estudo reforçam a importância de programas de extensão voltados para os alunos, assim como para a comunidade em que é aplicado, estimulando um desempenho e qualificação para os acadêmicos envolvidos e uma assistência diferenciada ao local de execução do programa de extensão, assim como sempre buscar melhorias para a construção do mesmo.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.