EFEITOS DO EXERCÍCIO FÍSICO DE DUPLA TAREFA SOBRE A RESPOSTA INFLAMATÓRIA, PARÂMETROS DE ESTRESSE OXIDATIVO E SISTEMA VESTIBULAR EM PACIENTES COM DOENÇA DE PARKINSON

Talita Tuon, Hérica Salvaro Fernandes, Miguel Rosado, Ana Lúcia Daniele Wicz, Janaína Rocha Niehues, Ricardo Aurino Pinho

Resumo


Introdução: A Doença de Parkinson é uma doença neurodegenerativa progressiva lenta e irreversível, sendo a principal característica neuropatológica da Doença de Parkinson, a perda de neurônios dopaminérgicos, localizados na substância negra do mesencéfalo e por inclusões intracitoplasmáticas destes neurônios conhecidos como corpos ou corpúsculos de Lewy, a partir da agregação anormal de proteínas como alfa sinucleína e ubiquitina. A prática regular do exercício físico é uma ferramenta desaceleradora das desordens neurodegenerativas relacionadas com a Doença de Parkinson. Os exercícios respiratórios são conhecidos pela sua efetividade na melhora dos sintomas e prevenção de complicações respiratórias. A Reabilitação Vestibular tem sido evidenciada por agir fisiologicamente sobre o sistema vestibular. Quando o exercício possui uma interferência cognitivo motora (dupla tarefa), apresenta efeitos positivos em parâmetros espaço-temporais nos portadores da Doença de Parkinson. Objetivo: Avaliar os efeitos do exercício físico de dupla-tarefa sobre marcadores inflamatórios, parâmetros do estresse oxidativo e do sistema vestibular em pacientes com Doença de Parkinson. Metodologia: Participaram do estudo quatorze indivíduos do sexo masculino, com média de idade de sessenta e cinco anos, que participaram de um protocolo de exercícios de dupla tarefa, durante sessenta dias, com frequência de treinamento de três vezes por semana e duração de quarenta e cinco minutos. Envolveu a realização de testes comportamentais bem como duas coletas de sangue. Esses dados foram coletados quarenta e oito horas antes e após do programa de treinamentos físicos. Resultado: Através do Parkinson's Disease Questionary, podemos analisar que os exercícios de dupla função promovem significativas mudanças na qualidade de vida e nos parâmetros clínicos de pacientes com Doença de Parkinson. Somente o teste de sentar e alcançar os pés não apresentou resultado estatisticamente significativo. Os testes de Romberg e Fukuda apresentaram resultados significativos. Em relação aos parâmetros de estresse oxidativo plasmáticos houve a redução nos níveis de nos pacientes expostos ao programa de treinamento e os níveis de glutationa reduzida e glutationa oxidada também apresentaram reduzidos níveis plasmáticos. Os níveis de Interleucina seis foram significativamente aumentados pelo programa de treinamento físico de dupla função. Conclusão: Os efeitos do exercício físico de dupla tarefa em pacientes com Doença de Parkinson exercem efeitos positivos em diferentes parâmetros comportamentais e clínicos, entretanto, os efeitos sobre parâmetros de estresse oxidativo estão diretamente relacionados com a regulação do sistema glutationa enquanto que a reposta inflamatória induzida pela doença pode ser modulada pela secreção de Interleucina seis induzida na atividade muscular imposta pelo exercício físico.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.