ENTENDENDO A ESTIMULAÇÃO PRECOCE EM CRIANÇAS COM SÍNDROME DE DOWN: PERCEPÇÃO DE MÃES E FISIOTERAPEUTA

Caroline Severo Jardim, Patrícia Martins, Mauro Antônio Félix

Resumo


Introdução: A Síndrome de Down é uma condição genética caracterizada pela alteração do cromossomo 21, onde crianças com esta Síndrome apresentam atraso no seu desenvolvimento motor. A Estimulação Precoce tem como finalidade melhorar este atraso e abordar a integração com a sociedade. Antigamente a expectativa de vida de crianças com Síndrome de Down era com prognósticos negativos para serem independentes. Um aumento na expectativa de vida de pessoas com Síndrome de Down foi a partir da segunda metade do século XX, vindo de progressos na área da saúde. Os fisioterapeutas planejam o tratamento proporcionando melhor qualidade de vida para a criança e família. Objetivo: Este trabalho teve por objetivos identificar a percepção das mães frente ao diagnóstico de seu filho, analisar a percepção das mães e do fisioterapeuta diante a Estimulação Precoce em crianças com Síndrome de Down, verificar a relação entre o fisioterapeuta e as mães na abordagem fisioterapêutica de seu filho, observar a abordagem do fisioterapeuta com a criança e como é sua relação fisioterapeuta-paciente-família. Metodologia: A pesquisa consistiu em um estudo observacional exploratório do tipo casos, aplicada em um Centro de Reabilitação na Cidade de Esteio/RS. Três mães participaram deste estudo e uma fisioterapeuta através da observação participante e entrevista semiestruturada. Os dados desta pesquisa foram categorizados e interpretados a partir da análise de conteúdo de Bardin. Resultado: As informações foram agrupadas em três categorias: A percepção das mães frente ao diagnóstico de seus filhos; A Síndrome de Down sob a perspectiva da fisioterapeuta; e O olhar das mães e da fisioterapeuta sobre a Estimulação Precoce. Foi possível identificar que, ao receberem o diagnóstico da Síndrome de Down, as mães entram em choque e sentem medo, isso se dá pela falta de informações sobre a Síndrome e pela falta de suporte oferecida pela equipe hospitalar no momento da notícia, como as relataram. Verificou-se também que as mães, mesmo sem muitas informações, levaram seus filhos para a Fisioterapia bem precocemente, bem como todas participam dos atendimentos e aprendem com eles. Observou-se também que o fisioterapeuta presta suporte para a família no centro de reabilitação, juntamente com uma equipe interprofissional. Conclusão: É perceptível que o fisioterapeuta tem clareza sobre esta Síndrome e sobre a importância da Estimulação Precoce, compreendendo que saber lidar com as mães é essencial, bem como a inserção das mesmas durante as abordagens fisioterapêuticas fazendo com que as mães compreendem a importância da Estimulação Precoce para seus filhos, visto que elas observam o desenvolvimento dos mesmos e percebem as capacidades e limites de cada um.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.