LEVANTAMENTO EPIDEMIOLÓGICO E ANÁLISE DO PERFIL DE HIPERTENSOS E DIABÉTICOS EM UMA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE EM CORONEL FABRICIANO

Angelise Mozerle, Jorge Costa Neto, Jéssica Freitas de Oliveira, Kimberly Martins Valgas

Resumo


Introdução: As Doenças Crônicas Não Transmissíveis são responsáveis pela maior parte das mortes antes dos 70 anos de idade, podendo gerar incapacidades e limitações na população acometida em suas atividades de vida diárias, além de provocar pressão sobre os serviços de saúde. Objetivo: Este estudo objetivou quantificar o registro de hipertensos e diabéticos e das complicações associadas a essas condições na Unidade Básica de Saúde,. Metodologia: A pesquisa foi submetida e aprovada pelo Comitê de Ética do UNILESTE/MG, CAAE: 08338819.0.0000.5095 Trata-se de estudo retrospectivo, de consulta a banco de dados da Secretaria Municipal de Saúde de Coronel Fabriciano MG, previamente autorizado pela autoridade competente, o Secretário Municipal de Saúde, Ricardo Cacau Melo. Foram analisadas as fichas de cadastro de usuários diagnosticados com HAS e/ou DM inseridos no Programa do Governo Federal, Ministério da saúde MS - HIPERDIA PLANO DE REORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À HIPERTENSÃO ARTERIAL E AO DIABETES MELLITUS", preenchidas no período de 01 de setembro a 31 de dezembro de 2018, sendo que a UBS denomina-se Caladinho de Cima. Para o estudo foram incluídas e analisadas todas as 242 fichas produzidas nesta unidade e arquivadas pela Secretaria Municipal de Saúde no Setor de Atenção Básica, tanto as digitalizadas quanto as físicas sem critério de exclusão. Os dados das fichas selecionados foram: fatores pessoais, presença de complicações e fatores de risco e doenças concomitantes. Por questões éticas, os dados que revelem a identidade dos pacientes não foram utilizados, garantindo assim o sigilo e anonimato e privacidade dos usuários. Não houve contato da equipe de pesquisa com os usuários. O estudo não apresenta risco à saúde, bem estar, nem constrangimentos aos usuários da UBS. Devido à metodologia, não há custos ao Sistema Municipal de Saúde e nenhum gasto foi gerado. Vale ressaltar que os pesquisadores se comprometeram a proteger os dados coletados de acessos indevidos. Os dados foram analisados por meio de bioestatística descritiva, com registro em planilha Excel, registrando medidas de tendência central, média, valores mínimos e máximos e percentuais. Resultado: A amostra é composta por 242 cadastros, sendo que 63,2% (153) referem os cadastros femininos e 36,7% (89) os masculinos. A idade média foi 61,1 anos, sendo a menor idade registrada 17 anos e a maior 88 anos, o peso médio encontrado é 73,8 Kg, sendo o menor peso 37,0 kg e o maior 128,0 Kg. No que diz respeito à manifestação de patologias de forma isolada ou em conjunto, 59,5% (144) são hipertensos, 3,7% (9) são diabéticos e 36,7% (89) são hipertensos e diabéticos. Em relação aos fatores de risco, encontrou-se 60,3% (146) de perfil sedentário, 72,3% (175) de sobrepeso, 10,3% (25) de tabagismo. Conclusão: O presente estudo reproduz as estatísticas nacionais se tratando de perfil epidemiológico de hipertensos e diabéticos, sendo a amostra majoritariamente idosa, do sexo feminino e com estilo de vida não saudáveis, a literatura também deixa claro que o fisioterapeuta tem um papel fundamental para minimizar os fatores de risco que podem acarretar doenças crônicas não evolutivas, ou quando já instaladas, reduzir as comorbidades advindas delas.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.