NÍVEL DE CONHECIMENTO DE DISCENTE DE GRADUAÇÃO SOBRE SOBRE COMPETÊNCIAS E HABILIDADES DO FISIOTERAPEUTA DA ATENÇÃO BÁSICA

Karina Durce, Amanda Lopes, Beatriz Carlos Ferraz, Milena Maiara de Lima Santos, Emílio Felipe Alvarenga, Luciane Correia da Silva, Janete Maria da Silva

Resumo


Introdução: Estudos apontam que a graduação do fisioterapeuta atual deve objetivar a formação de um profissional capaz de atender nos níveis de promoção, prevenção, preservação e recuperação da saúde do ser humano. A área de atuação da fisioterapia ainda é vista na maioria das vezes como apenas secundária e terciária, focando em uma prática reabilitadora, se esquecendo muitas vezes da atuação dela na atenção básica. Sendo assim, ainda se vê muita dificuldade de que os graduandos desenvolvam um pensamento preventivo de doenças sem enfoque em patologias, tampouco compreender a temática das competências e habilidades necessárias para o fisioterapeuta atuar neste cenário de prática. Objetivo: Verificar o nível de conhecimento teórico sobre competências e habilidades inerentes à atuação do Fisioterapeuta na atenção básica, por discentes do 9º e 10º semestres de um Curso de Fisioterapia de uma Instituição de Ensino Superior da cidade de São Paulo. Metodologia: Trata-se de um estudo transversal quantitativo, aprovado pelo Comitê de Ética, sob o parecer número 3.393.363. A coleta de dados ocorreu por meio da aplicação do questionário, elaborado pelas pesquisadoras, com base em uma revisão das principais competências e habilidades esperadas por profissionais atuantes na atenção básica. Para o presente estudo, optou-se por analisar especificamente as seguintes dimensões: compreensão da atuação no Sistema Único de Saúde; compreensão dos fazeres em fisioterapia na Atenção Básica; habilidades pessoais e raciocínio clínico. Resultado: Participaram do estudo 25, pelos quais avaliados a compreensão da atuação no Sistema Único de Saúde, compreensão dos fazeres em fisioterapia na atenção básica, habilidades pessoais e raciocínio clínico. Na compreensão da atuação no Sistema Único de Saúde dos cinco itens, 1,6% foram considerados conhecimento dispensável, 32% necessário, 27,2% importante e 39,2% indispensável. No item sobre a compreensão dos afazeres dos 8 itens, 6% foram considerados dispensável, 16% necessário, 31% importante e 47% indispensável. Já as habilidades pessoais, composta por 11 itens, 1% foi considerado desnecessário, 1% dispensável, 6% necessário, 25% importante e 67% indispensável. Em relação a dimensão raciocínio clínico do discente, composta por 7 itens onde 0,5% foi considerada dispensável, 5% necessário, 24,5% importante e 70% indispensável. Conclusão: Pode-se concluir que a maioria dos itens avaliados são considerados importantes e indispensáveis, demostrando que teoricamente o estudante tem conhecimento sobre as habilidades e competências esperadas por profissionais para atuação na atenção básica, principalmente no que tange ao raciocínio clínico e habilidades pessoais.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.