O FISIOTERAPEUTA NA EQUIPE INTERDISCIPLINAR EM PATOLOGIAS DA FUNÇÃO NEURAL

Erisvan Vieira da Silva, Thaís Nogueira de Oliveira Martins, Hedionéia Maria Foletto Pivetta

Resumo


Introdução: Distúrbios que envolvem o Sistema Nervoso ocorrem com grande frequência na população, e em sua grande maioria são de origem idiopática. Devido à diversidade de regiões em que estas patologias se instalam, assumem altos índices de morbidade até mesmo com limitações funcionais graves. Logo, o fisioterapeuta em atuação com a equipe interdisciplinar assume importante papel na redução das sequelas e auxilia no retorno de independência funcional na realização de suas atividades cotidianas. Além disso, a família e os cuidadores por exercerem grande influência devem estar preparados para o manejo e cuidados com seus familiares. Objetivo: Apresentar a atuação fisioterapêutica no contexto da equipe interdisciplinar na reabilitação de pacientes com patologias neurais. Metodologia: Este estudo integra uma revisão de literatura realizada no período de março/2018 e junho/2019 em que foram consultadas diferentes bases de dados, portal de periódicos online, livros disponíveis na Biblioteca Dante Alighieri (UNICEUMAR) e Biblioteca Central (UFSM). Resultado: As doenças neurológicas proporcionam ao indivíduo um elevado grau de incapacidades funcionais, ocasionando perda na qualidade de vida. Assim, a literatura evidenciou que a intervenção fisioterapêutica visa recuperar a funcionalidade e melhorar a qualidade de vida desses pacientes, buscando proporcionar melhora no grau de independência funcional na realização de suas Atividades da Vida Diária (AVD's). É importante destacar, também que, devido à complexidade de muitas doenças neurológicas, a fisioterapia não consegue proporcionar a reabilitação isoladamente. Alguns fatores são essenciais na interação entre profissional-paciente, o qual, muitas vezes, na realização das sessões o paciente traz os seus problemas pessoais, anseios e insegurança, logo, o fisioterapeuta deve ser um profissional sensibilizado e apto para escuta ativa destes pacientes, facilitando o tratamento humanizado. Ressalta-se que a reabilitação do paciente neurológico necessita de sua motivação para a realização dos exercícios terapêuticos e aceitação das alterações no estilo de sua vida decorrente de sua patologia, estes são fatores que desencadeiam o sucesso da reabilitação. As condutas são traçadas de forma flexível e podem ser modificados de acordo com as respostas do paciente. Inicialmente, deve-se realizar uma boa avaliação e sempre monitorar o avanço, além de estar informando aos familiares a respeito dos cuidados a serem tomados e modos de convivência com o doente neurológico. No mais, as sessões de fisioterapia têm por finalidade preservar ou reestabelecer a funcionalidade desses pacientes e contribuem de forma decisiva no processo de tratamento, que por conta de suas incapacidades e disfunções neurológicas, em alguns casos, não são reintegrados à sociedade. Conclusão: O fisioterapeuta exerce grande influência na reabilitação de pacientes com patologias neurais, dentre os benefícios, proporciona a reintrodução desses indivíduos na sociedade com maior grau de independência funcional para realização das AVD's Acredita-se que a partir da atuação interdisciplinar, especificamente do fisioterapeuta, viabiliza a rápida evolução no quadro clinico destes pacientes, bem como na redução da permanência em leitos, por consequência, minimiza os efeitos deletérios decorrentes da inatividade e diminuição das repercussões funcionais. Outrossim, em consideração a complexidade deste sistema, se faz necessário a realização de estudos destas patologias correlacionando-as com a prática do fisioterapeuta.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.