PERSPECTIVA DOS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE SOBRE OS SERVIÇO DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À HANSENÍASE

Sarah Tarcísia Rebelo Ferreira Carvalho, Alana dos Prazeres Nascimento, Dheyse Moreira dos Santos, Laíse Neves Carvalho, Maria Claudia Gonçalves, Ana Lourdes Avelar Nascimento

Resumo


Introdução: A atuação do agente comunitário de saúde (ACS) é de fundamental importância na equipe de saúde, como um facilitador do contato entre a comunidade e o serviço de saúde, promovendo uma aproximação entre os usuários e os profissionais de saúde. Objetivo: Este trabalho teve como objetivo analisar a perspectiva dos ACS's em relação as potencialidades e fragilidades dos serviços de Atenção Primária (APS) na atenção à hanseníase de um Centro de Saúde de referência em São Luís - Ma. Metodologia: Neste sentido, desenvolveu-se um estudo quantitativo e transversal, com 13 ACS que atuam em um Centro de Saúde de referência em São Luís- Ma. Como critério de inclusão, foram considerados: profissionais contratados pelo município e que estavam atuando no setor de controle da hanseníase no Centro de saúde referido por um período mínimo de dois anos e que aceitaram participar da pesquisa. Para a coleta de dados, foi utilizada a ferramenta denominada Instrumento de avaliação das ações de controle da hanseníase na atenção primária". Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa (Parecer n° 1.618.926). Resultado: Como resultado, identificou-se que os participantes tinham em média 19,62 (±5,04) anos de trabalho como ACS e 18,08 (±4,46) anos trabalhando especificamente no serviço de APS nas ações de controle da hanseníase, tendo tido em média 5,15 (±3,26) treinamentos sobre hanseníase. Observou-se que todos os 13 entrevistados (100%) avaliaram que os domínios Porta de entrada, Atendimento continuado, Integralidade de serviços disponíveis, Orientação familiar e Orientação comunitária, apresentavam alta orientação do serviço. No entanto, foi observado que apenas a minoria dos entrevistados considerou que os domínios acesso (38,46%) e orientação profissional (30,77%) apresentam alta orientação. Conclusão: Desta forma, concluí-se que na percepção dos ACS's estudados, os atributos acesso e orientação profissional são as principais fragilidades do serviço de atenção primária à hanseníase, fato que pode dificultar a acessibilidade aos serviços e comprometer a prestação de assistência aos pacientes.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.