SAÚDE DO TRABALHADOR - UMA EXPERIÊNCIA DO NÚCLEO DE ATENÇÃO À SAÚDE DO SERVIDOR DA FACULDADE DE FISIOTERAPIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA

Vanusa Caiafa Caetano, Maria Alice Junqueira Caldas, Higor Apolinario Melquiades, Mariana Balbi Seixas

Resumo


Introdução: As atividades laborais, sejam elas quais forem e dependendo da maneira como são executadas, podem ser consideradas via para o progresso ou fator contributivo para o adoecimento do trabalhador. Nesse sentido, os efeitos do trabalho sobre a saúde dos indivíduos a ele expostos não se restringem apenas à doença ocupacional e não ocupacional. Hoje é sabido que transtornos físicos e psíquicos aparecem ao passo que as exigências aumentam, superando por vezes, a capacidade individual em determinado momento. Com relação ao trabalho desempenhado pelos docentes, a literatura aponta para uma crescente intensificação e desvalorização destes nas Instituições de Ensino Superior. Vale ressaltar que, comumente, em um ambiente de trabalho existem várias classes trabalhadoras, o que torna necessária uma abordagem que englobe todas as classes, promovendo a união e satisfação no ambiente laboral. Em contrapartida, um ambiente laboral que existe algum nível de satisfação pessoal relacionado ao trabalho, associado à redução de riscos e valorização das potencialidades, pode-se produzir um equilíbrio favorável à saúde. Nesse sentido, o Núcleo de Atenção à Saúde do Servidor da Faculdade de Fisioterapia da Universidade Federal de Juiz de Fora desempenha atividades visando redução dos riscos inerentes ao trabalho. Objetivo: Realizar um diagnóstico sobre a saúde dos servidores da FACFISIO, identificando os principais agravos físicos e/ou mentais à saúde que acometem os mesmos, com intuito de promover a correção dos determinantes através da prevenção, proteção e cuidado ampliado sobre a saúde de forma integrada, humanizada e coletiva. Metodologia: Foi realizada uma análise retrospectiva de um instrumento investigativo respondido online via aplicação "Formulários Google", contendo cinco blocos, a saber: dados gerais para caracterização da amostra; avaliação clínica e morbidade geral; saúde mental; morbidade específica e processo de organização do trabalho. Além disso, foi aplicado um questionário específico para avaliação da Síndrome de Burnout, em outro momento. Resultado: O instrumento foi aplicado em trinta servidores da FACFISIO sem identificação entre professores, técnicos administrativos e funcionários da conservadora que presta serviço às instituição de forma terceirizada. Dentre os principais achados identificamos queixas osteomioarticulares mais frequentes na coluna vertebral e pescoço, e com relação aos distúrbios de ordem mental, destacamos as seguintes manifestações: sentir-se nervoso, preocupado, além da perda de interesse pelas atividades laborais. Com relação ao questionário relacionado à Síndrome de Burnout, 21 responderam, sendo que um não respondeu a todas as questões, sendo excluído. A pontuação deste variou de 31 a 83 pontos, e mais de 80% dos servidores estão pelo menos em uma fase inicial da síndrome. Foram utilizadas análises exploratórias descritivas, por meio de verificação simples da frequência da ocorrência de cada evento, bem como percentuais de cada uma das variáveis analisadas por via de planilhas eletrônicas via Excel. Conclusão: A partir deste panorama diagnosticado, estratégias para prevenção e controle dos sintomas identificados serão apresentadas e aplicadas de forma efetiva aos servidores desta unidade acadêmica. Além disso, espera-se que este relato de experiência possa fomentar o trabalho de outros núcleos de assistência à saúde de trabalhadores, contribuindo para aumentar o debate sobre o tema e melhorar a qualidade de vida laboral.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.