UTILIZAÇÃO E INCORPORAÇÃO CONCEITUAL DAS TECNOLOGIAS LEVES NA PERSPECTIVA DA PRODUÇÃO HUMANIZADA DO CUIDADO FISIOTERAPÊUTICO: UMA REVISÃO NARRATIVA

Michelle Guiot Mesquita, Luiz Henrique Bastos da Silva de Oliveira, Juliana Veiga Cavalcanti, Michele Ramos Lourenço

Resumo


Introdução: Com o avanço tecnológico no rol de cuidados em saúde das últimas décadas, torna-se imperioso enfatizar o uso de Tecnologias Leves (TLs) do cuidado a fim de garantir atendimento humanizado e coerente com a Política Nacional de Humanização, para a mudança do modelo técnico assistencial na perspectiva do vínculo, autonomia, acolhimento e gestão e como instrumentos de produção de saúde. Objetivo: Verificar na literatura a utilização e incorporação conceitual das TLs na atuação fisioterapêutica nos cenários de produção do cuidado, considerando o conhecimento das tecnologias, a utilização efetiva das TLs pelo fisioterapeuta nestes espaços de cuidado e a descrição das ações nos artigos selecionados que apontam para o uso das TLs. Metodologia: Estudo de revisão narrativa de caráter descritivo-discursivo, com buscas de artigos nas bases de dados SciELO e LILACS cujo objetivo foi identificar artigos que relatam o uso de TLs por parte de Fisioterapeutas nos cenários de prática e níveis de atenção a saúde. Como critérios de inclusão selecionamos artigos originais, incluindo estudos que descreviam, avaliaram e/ou relataram a experiência da utilização de TLs por fisioterapeutas, incluídos ou não em uma equipe multiprofissional e em todos os níveis de atenção do cuidado em saúde. Como critério de exclusão optou-se por não utilizar artigos de estudos não realizados no Brasil, aqueles que mencionavam o termo TLs apenas na perspectiva conceitual ou epistêmica, os que citavam práticas o uso relacionado a equipe multiprofissional sem especificar o fisioterapeuta. Foram selecionados 63 trabalhos para a leitura completa do resumo, resultando em um total de 14 artigos que foram lidos na íntegra, resultando na seleção de 6 artigos. Resultado: 33% dos artigos citavam as TLs ao se referirem as práticas relacionais e humanizadoras na perspectiva do cuidado fisioterapêutico, demonstrando fragilidade na sua utilização e incorporação conceitual. Ao realizarmos a descrição de todas as TLs utilizadas nestas fontes, observamos ainda uma tendência ao desconhecimento uso correlato desta terminologia às práticas afins realizadas, limitando a efetiva utilização das TLs nos espaços de cuidado. Conclusão: Poucos estudos são desenvolvidos por fisioterapeutas sobre o tema pesquisado, o que parece se caracterizar pela dificuldade destes em reconhecer TLs como ferramentas de produção de cuidado. Imperioso problematizarmos a ênfase dada às Tecnologias leve-duras e duras no cuidado, o que parece ocorrer devido ao perfil histórico do fisioterapeuta, fortemente ligado a reabilitação, com forte apelo ao fazer tecnicista e procedimental. Espera-se ainda que este estudo seja de grande valia para o estímulo à produção de saberes nesta temática e que contribua de forma relevante para o perfil social do fisioterapeuta brasileiro no que concerne a sua valorização tanto nos meios acadêmicos e de pesquisa, quanto no cuidado em saúde e com a sociedade em geral.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.