VULNERABILIDADE E TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO NA SÍNDROME DE GUILLAIN BARRÉ

Karollainy Alves de Oliveira, Thyago Mendes Lago, Bruna da Silva Sousa

Resumo


Introdução: A síndrome autoimune de etiologia indefinida, titulada como Síndrome de Guillain Barré, apresenta por característica o acometimento inflamatório agudo das inervações periféricas e craniais, ocasionando uma fragilidade simétrica e crescente dos membros, apresentando também formas incomuns em sua evolução. Estudos comprovam que a Síndrome de Guillain Barré (SGB) é uma polirradiculopatia desmielinizante inflamatória aguda, autoimune, na maioria dos casos reversíveis, atingindo cerca de dois indivíduos para uma população de 100.000 habitantes. Seus sintomas são caracterizados por distúrbios neurológicos onde ocorrem disfunções da inervação periférica, ocasionado geralmente após um quadro viral ou infeccioso, atingindo crianças e adultos. Objetivo: Analisar os principais déficits da Síndrome de Guillain Barré e as principais opções de tratamento fisioterapêutico com diagnostico da (SGB). Metodologia: Trata-se de uma revisão da literatura, com busca de artigos publicados nas seguintes bases de dados: EBSCO INFORMATION, BIREME, PUBMED E LILCAS. Foram encontrados 208 artigos correlacionados com o título, sendo utilizadas as palavras chaves em inglês e português: Síndrome de Guillain Barré, tratamento, fisioterapia, neurológico, Polirradiculopatia. Neste estudo foram utilizados 10 artigos de 2002 a 2019 como fontes de pesquisa, prevalecendo o estudo relacionado a déficits da (SGB) e atuação do fisioterapeuta na patologia. Resultado: A síndrome de Guillain Barré agride o sistema neurológico e as inervações periféricas ocasionando principalmente a perda de força muscular dos membros inferiores, alteração dos nervos cranianos e uma redução dos reflexos dos tendões profundos. Foi identificado que a maior incidência ocorre em indivíduos após um quadro viral ou infeccioso. O tratamento fisioterápico indicado no processo de reabilitação consiste em exercícios ativos livres, fortalecimento muscular, hidroterapia e estimulações elétricas para haja melhor ganho na capacidade funcional e nas atividades vida diária (AVD), sendo que ainda o principal tratamento é a imunoglobulina intravenosa. Conclusão: De acordo com a pesquisa, foi identificado que a intervenção do fisioterapeuta é de suma importância e indispensável na recuperação das limitações e no déficit funcional ocasionadas pela (SGB), promovendo de forma eficaz ao paciente independência nas (AVD) apresentando assim uma melhora significativa em sua qualidade de vida. Mesmo sendo uma patologia na qual podem ocorrer complicações e agravos, uma vez traçado um plano de tratamento adequado para as necessidades de cada paciente a (SGB) é facilmente revertida. No entanto, foi observada a carência de novos estudos relacionados à síndrome, principalmente no que diz a respeito à abordagem do fisioterapeuta.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.