ESTILO DE APRENDIZAGEM DE ESTUDANTES DE ODONTOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL

Thiago Rosendo Santos Miranda, Adriane Pires Batiston

Resumo


Introdução: Nas últimas décadas, o campo educacional na formação de profissionais de saúde sofreu diversas transformações, principalmente em relação aos fatores que podem influenciar a aprendizagem dos estudantes. A formação de profissionais de saúde deve prepará-los para atender às necessidades reais da população para que desenvolvam criatividade, criticidade, proatividade e cooperatividade. Tais habilidades são adquiridas através de diferentes fontes sensoriais, advindas de visões e experiências educacionais dos estudantes, que influenciam a aprendizagem e no desempenho enquanto aprendiz e futuro profissional. Objetivo: Conhecer o estilo de aprendizagem de estudantes de graduação em odontologia na UFMS. Metodologia: Foi realizado um estudo transversal, conduzido com estudantes de ambos os sexos, com idade igual ou superior a 18 anos, regularmente matriculados no curso de graduação em odontologia da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Após receberem as devidas instruções sobre o instrumento utilizado no estudo, os estudantes auto preencheram um instrumento com informações sociodemográficas e responderam o VAK Questionnaire, podendo ser classificados quanto ao seu estilo de aprendizagem em visual (V), auditivo (A) e cinestésico (K). Conforme suas respostas, o estudante também foi classificado em unimodal (apenas um estilo de preferência) ou multimodal (mais de um estilo preferencial). Realizou-se a análise estatística dos dados, com nível de significância de 5%. Resultado: Participaram do estudo 117 estudantes, com média de idade 20,93 ±3,05 anos (média±desvio padrão da média), a maioria era do sexo feminino (76,9%). Quanto ao estilo de aprendizagem, observou-se que 54,84% dos estudantes foram classificados como unimodal e 44,16% como multimodal. Os estilos auditivo e visual foram mais frequentes do que o cinestésico. Não houve associação significativa entre as variáveis sexo e semestre com o estilo de aprendizagem (p>0,05). Conclusão: Dentre os estudantes do curso de odontologia estudados, a maioria é do sexo feminino, com classificação unimodal. Contrariando o esperado, não houve associação entre os semestres mais avançados e o estilo cinestésico, uma vez que mais atividades práticas são experimentadas nas séries finais do curso. O conhecimento sobre os estilos de aprendizagem pode ser utilizado como uma interessante estratégia para otimizar a capacidade de adquirir conhecimento dos estudantes.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.