UTILIZAÇÃO DE VIDEOS DIDÁTICOS COMO FERRAMENTA PARA FACILITAÇÃO DA APRENDIZAGEM DE TÉCNICAS DE FISIOTERAPIA AQUÁTICA

Rodrigo Fragoso de Andrade, Mírian Alexandre Amaral da Cruz: Anna Caroline Moura, Carla do Couto Soares Maciel, Simony do Nascimento Lira

Resumo


Introdução: Por serem de baixo custo e potencialmente eficazes na difusão de informações, os recursos audiovisuais são importantes aliados no fomento da educação no ambiente acadêmico. A fisioterapia aquática (FA) se destaca como uma especialidade da fisioterapia que auxilia no tratamento de diversas disfunções do corpo humano. No entanto, em muitos estabelecimentos de ensino superior, o aprendizado de técnicas específicas de FA encontra-se prejudicado pela indisponibilidade de piscina para que os alunos possam treiná-las em momentos extra aulas. Objetivo: Avaliar a utilização de vídeos didáticos como ferramenta para facilitação da aprendizagem de técnicas específicas de fisioterapia aquática. Metodologia: Estudo desenvolvido com 20 alunos matriculados no módulo Recursos Fisioterapêuticos Biohídricos (RFBH) do curso de Fisioterapia da Universidade Federal do Ceará (UFC) no segundo semestre de 2017. Os vídeos foram produzidos pelos próprios autores, abordando as técnicas: Watsu, Badragaz, Halliwick e Hidrocinesioterapia. O material foi utilizado durante as aulas teóricas, encontros de monitoria e, posteriormente, disponibilizados em uma biblioteca virtual do site www.youtube.com.br. Foram ao todo 25 vídeos, com duração média de um minuto cada. Após a liberação de todos os vídeos, os alunos foram estimulados a responder um questionário composto por 9 questões, elaborado pelos próprios autores, com respostas baseadas na escala Likert de concordância, abordando dentre outros aspectos: videos como ferramenta de estudo e potencialização da aprendizagem; tempo adequado e linguagem acessível; e forma de disponibilização . Todas as afirmações foram compiladas em um documento do Google Docs cujo link foi disponibilizado aos alunos. A análise do nível de concordância das afirmativas foi realizada através do cálculo do Ranking Médio (RM), calculando-se a média ponderada baseando-se nas frequências e pontuação das respostas. O RM varia de 1 a 5, sendo menor que 3 não há concordância, entre 3 e 4 baixo nível de concordância e entre 4 e 5 alto grau de concordância. Os dados foram analisados utilizando o software Microsoft Excel® 2010 e expressos em porcentagem. Resultado: O RM de todas as afirmativas no presente estudo ficaram entre 4 e 5, evidenciando um alto grau de concordância entre as respostas. Mais de 80% dos alunos concordaram totalmente que os vídeos foram ferramentas de estudo eficazes (RM=4,86), foram de fácil entendimento (RM=4,73), contemplaram os conteúdos abordados em sala de aula (RM=4,8) e tiveram acesso online adequado (RM=4,86). Já em relação se a duração dos vídeos foi adequada, mais que 50% dos alunos concordaram parcialmente (RM=4,33), da mesma forma que 40% dos alunos concordaram totalmente e outros 40% parcialmente (RM=4,4) que os vídeos favoreceram um melhor desempenho na disciplina. Conclusão: Os vídeos didáticos se mostraram como ferramentas que favorecem a aprendizagem de técnicas específicas de fisioterapia aquática.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.