INCIDÊNCIA DE PATOLOGIAS DOS PACIENTES ASSISTIDOS PELO SUS

Daiane Mazolla, Gabriela Cristina Bonadiman, Karen Raiana Kuhn da Costa, Karim Kaiomi de Oliveira Bordignon

Resumo


Introdução: O Sistema Único de Saúde (SUS) criado em 1988, garante o atendimento à saúde de forma integral, universal e gratuito para toda a população do país. A crescente demanda por serviços de saúde, associada a necessidade de avaliar as áreas de patologias, aumento das doenças crônicas não-transmissíveis e a permanência de elevada morbidade por doenças infecciosas no país, indica que os custos com a saúde são cada vez maiores, tornando-se evidente que os investimentos para esse setor necessitam ser melhor estudados e aplicados. Objetivo: Objetiva-se neste estudo caracterizar as patologias e regiões com maior índices de lesões dos usuários assistidos no serviço de Fisioterapia construindo um rol de informações sobre a demanda local, para um melhor planejamento das ações no serviço prestado. Metodologia: Trata-se de um estudo retrospectivo, realizado por análise de prontuários dos pacientes que procuraram o serviço de Fisioterapia no município de Frederico Westphalen - RS, no período de setembro de 2017 a setembro de 2018. Foram coletados dados de gênero, idade, além do código da patologia de acordo com a lista de morbidades do CID-10 e o diagnóstico médico, excluindo-se aqueles pacientes com preenchimento inadequado ou ausência de informações. Resultado: Verificou-se que 406 pessoas foram atendidas no setor de Fisioterapia, sendo 67% de mulheres e 33% de homens, com idade média de 51 anos. A área de assistência de maior prevalência foi Ortopedia e Traumatologia com 84,4%, e as regiões com maior numero de lesões foram: 99 lesões na região lombar, 87 lesões nas mãos, 85 nos ombros, 41 no joelhos, 21 nos tornozelos, 18 nos punhos, 18 na cervical, 16 nos cotovelos, 14 na coxa, 13 nas pernas, 7 no quadril e 4 na coluna. Conclusão: A questão levantada como resultado da reflexão deste estudo, é que no trabalho desenvolvido pelo Fisioterapeuta prevalece o atendimento curativo, e não intervenções mais complexas que envolvam prevenção de agravos ou educação em saúde. Nesse contexto, as revisões de prontuários têm o intuito de coletar dados para mensurar a demanda que possibilite um melhor planejamento de ações e como consequência maior eficácia nos serviços prestados a população.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.