EDUCAÇÃO EM SAÚDE VOLTADA À POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA E SEUS IMPACTOS NA FORMAÇÃO EM FISIOTERAPIA

Estefani Santos Castro, Andressa Koch, Ellen Larissa Bail, Guilhermo Casini, Lara Kandauroff, Natalye Arsie, Vanessa Quevedo, Rubneide Barreto Silva Gallo

Resumo


Introdução: A população em situação de rua é marcada pela vulnerabilidade e marginalização social, tendo como características ser um grupo heterogêneo, que possui em comum a pobreza extrema, fragilidade ou interrupção de vínculos familiares, necessitando então de um olhar especial quando se trata de seus aspectos biopsicossociais, justificando dessa forma a importância de se trabalhar educação em saúde com esse grupo. Entende-se por educação em saúde qualquer método utilizado para transmitir conhecimentos básicos para a população, facilitando ações de promoção de saúde e prevenção de agravos. O presente trabalho objetiva descrever as experiências e os impactos vivenciados por um grupo de graduandos em Fisioterapia, que realizou intervenções de educação em saúde voltada à população em situação de rua. Descrição: A disciplina intitulada como "Habilidades Fisioterapêuticas na Promoção e Prevenção à Saúde", é ministrada no quarto período de graduação em fisioterapia na Universidade Federal do Paraná (UFPR) e visa levar ao estudante a vivência e a atuação fisioterapêutica em promoção e prevenção à saúde, através de encontros semanais ocorridos durante o período entre agosto e novembro de 2018, em uma igreja localizada em Curitiba/PR, onde os estudantes colocavam em prática diversos temas estudados durante a disciplina, elaborando atividades dinâmicas, como jogos, rodas de conversa, orientações, sessões de atividades físicas, entre outras, sempre levando em consideração as necessidades específicas encontradas pelos discentes durante o estudo na literatura, assim como a partir de cada novo encontro com esta população. Impactos: Os estudantes puderam verificar uma repercussão positiva através dos relatos dos participantes, pois todas as semanas ocorriam agradecimentos pelas dinâmicas realizadas e pela própria humanização com que eles eram tratados durante as atividades, assim como também foram relatados desabafos, histórias de vida, discussões e aprendizados que fizeram os estudantes refletirem sobre a importância de ver o paciente como um todo, sem qualquer tipo de preconceito ou discriminação. Além disso, os relatos dos estudantes mostraram a importância do contato dos profissionais e de se trabalhar educação em saúde com essa população, culminando em relatos de satisfação, emoção, crescimento pessoal e profissional dos mesmos. Considerações: Portanto, podemos concluir que a disciplina proporcionou um encontro transformador para ambas as partes, resultando em uma vivência prática capaz de desenvolver habilidades cruciais para o exercício da profissão de Fisioterapeuta, principalmente na atenção básica e na saúde coletiva. Foi notório os impactos positivos desta vivência para a formação dos graduandos, onde os discentes puderam perceber a necessidade de uma maior mobilização da comunidade científica e do poder público para com esta população, visto a importância de uma atenção adequada às suas demandas.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.