EXTENSÃO EM FISIOTERAPIA CRANIOMANDIBULAR: UM OLHAR MULTIDISCIPLINAR

Eulália S. Pinheiro dos Santos Barros, Rachel Trinchão Scheinberg Kalid Ribeiro, Luciana Bilitário

Resumo


Introdução: A extensão proporciona ao aluno uma experiência prática com acompanhamento de um professor especializado. Na área de Fisioterapia craniomandibular a experiência multidisciplinar abordada nesse projeto foi essencial para despertar o interesse de estudantes e professores para o trabalho com esses pacientes. Descrição: O projeto acontece através da parceria dos cursos de Fisioterapia e Odontologia. Alunos do 4° ao 9° semestres são selecionados, por meio de edital institucional, recebem três semanas de capacitação em Fisioterapia Bucomaxilofacial e, em seguida, triam, avaliam e tratam pacientes em pós operatório de cirurgia Bucomaxilofacial. Os pacientes são encaminhados pela equipe de cirurgiões bucomaxilofaciais e residentes da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública. Os atendimentos acontecem no Ambulatório de Odontologia da instituição sob a supervisão de uma fisioterapeuta e professora do curso de Fisioterapia. A programação envolve, aproximadamente, 14 encontros semestrais, com frequência semanal. Impactos: Poucos estabelecimentos públicos em Salvador prestam serviço fisioterapêutico a indivíduos vítimas de lesões craniofaciais e/ou submetidos à cirurgias ortognáticas, tornando a inassistência uma realidade a este grupo de pacientes. A oferta interprofissional e multiprofissional de um serviço voltado à esta população pode contribuir para a reabilitação precoce dos pacientes com lesões/deformidades craniomandibulares e a diminuição das complicações pós-cirúrgicas. Além disso, pode incorporar novos conhecimentos por meio da interação e da construção participativa entre os profissionais e alunos, elementos fundamentais na área de saúde pois permitem a compreensão das relações entre os elementos do corpo humano, entendendo-o de maneira integral. Considerações: A interação com alunos de outros cursos, o desafio de atender em um ambiente não habitual sob olhares curiosos de colegas que desconhecem as competências de um fisioterapeuta e o contato com uma área incipiente na Fisioterapia são marcos de uma experiência inspiradora para alunos e professores.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.