IMPORTÂNCIA DE AÇÕES EXTENSIONISTAS EM UMA INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS COMO FERRAMENTA DE PROMOÇÃO À AUTOESTIMA EM IDOSOS: RELATO DE EXPERIÊNCIA

Micaela Freire Fontoura, Gabriel Paz de Lima, Fabiano Gomes Miranda Pereira, Gustavo Silva Ferreira

Resumo


Introdução: O envelhecimento é um processo dinâmico, progressivo e irreversível, ligado a fatores biológicos, psíquicos e sociais que traz consigo diversos ganhos, entretanto, também possui seus aspectos negativos, comumente abordados nos estudos em detrimento dos ganhos, devido à crença de que as perdas estão relacionadas à velhice e os ganhos privados às fases iniciais do desenvolvimento. Porém, perdas e ganhos ocorrem em todas as etapas da vida. Nos idosos, é natural que a autoestima seja afetada devido às perdas físicas e sociais que ocorrem, afetando a auto-aceitação. Assim, este trabalho objetiva relatar uma oficina de estímulo à autoestima em um grupo de idosos institucionalizados participantes de um evento de extensão universitária. Descrição: A oficina foi realizada na Fundação Leur Britto, uma Instituição de longa permanência para idosos, localizada no município de Jequié, na Bahia, e ocorreu no dia 20 de setembro de 2018 com os idosos institucionalizados. Para a realização da dinâmica utilizou-se um chapéu com um espelho fixado na parte interna e eram feitas as seguintes perguntas: "Você tira o chapéu para esta pessoa? Por quê?". A oficina foi monitorada por alunos de graduação em Fisioterapia da UESB e participaram aproximadamente 45 pessoas do sexo masculino e feminino, com idades variando entre 70 e 90 anos. Impactos: Observou-se, pelo relato dos participantes, elevado grau de aceitação do envelhecimento, preocupação com bem-estar e busca pelos seus objetivos. Houve notável destaque do envelhecimento como um processo positivo da vida, que inclui autoconhecimento e auto-aceitação, resultando em desenvolvimento pessoal. Por meio da dinâmica executada, todos os participantes se surpreenderam quando viram a sua própria imagem e grande parte respondeu de forma positiva à pergunta elaborada, onde a principal justificativa se devia às diversas dificuldades enfrentadas no decorrer de vida. Relataram, ainda, a satisfação e sensação de "dever cumprido", ao relembrar as diversas dificuldades enfrentadas no decorrer de suas vidas e notar o valor da existência, e por consequência levando à sua auto-aceitação. Corroborando com estudos que avaliaram a percepção de idosos institucionalizados, e em suas deposições apontavam a velhice como algo positivo a ser vivido que traz consigo maturidade e desenvolvimento pessoal, declararam, também, possuir a sensação de "missão cumprida" devido aos acontecimentos vivenciados. Na sequência, foi destacada a importância da integração familiar e dos cuidados com a saúde, englobando a sexualidade, atividades físicas e lazer. A discussão aconteceu de forma coletiva e individual, tendo duração variável de aproximadamente 15 minutos. Considerações: Notou-se a necessidade de estímulo a autoestima nos idosos institucionalizados, de modo a identificar como se sentem e o que esperam desse momento da vida, além de enfatizar a importância da auto-aceitação. Constatou-se, que a velhice é um período de realizações pessoais e aprazível, vista por alguns como um período de libertação e ganhos psicossociais, o qual um simples incentivo pode auxiliar a tornar a chegada e a vivência da velhice mais agradável, feliz, natural e produtiva. É necessário, ainda, descobrir um novo estilo de vida, com vistas a minimizar as perdas.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.